Empresas Presidente da Argentina acusa Repsol de subornar jornalistas

Presidente da Argentina acusa Repsol de subornar jornalistas

Cristina Kirchner diz que, na altura em que a YPF ainda era controlada pela Repsol, pagava cerca de 1,9 milhões de euros por ano a jornalistas.
Rita Faria 10 de agosto de 2012 às 16:47
A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, denunciou esta quinta-feira à noite que a petrolífera YPF, quando ainda era controlada pela Repsol, pagava cerca de 1,9 milhões de euros por ano a jornalistas e seus familiares.

Kirchner explicou que, depois da nacionalização da petrolífera argentina, a nova gestão da empresa pagava essa verba sob a rubrica de “publicidade não convencional”, escreve o espanhol “El País”.

“Qual é a publicidade não convencional? Obviamente não é a que vemos na televisão, são facturas que se pagam como publicidade, mas a publicidade não aparece”, disse a presidente argentina num discurso televisivo a partir de La Plata. “Há aqui um novo conceito: publicidade não convencional. Paga-se, mas ela não aparece”.

Kirchner acrescentou ainda que os pagamentos a jornalistas não eram exclusivos da YPF, enquanto foi propriedade da Repsol, porque outras empresas, e até organismos públicos, também o fazem.

“A Argentina precisa de uma lei de ética pública para os jornalistas”, sublinhou a presidente no mesmo discurso. “Os jornalistas devem denunciar quem lhes paga”.

Entre os visados destes pagamentos conta-se a esposa do jornalista Marcelo Bonelli, do jornal argentino “Clarin”, que terá recebido 170 mil euros anuais desde 2008 até 2012, de acordo com a presidente Kirchner.

Bonelli escreveu na semana passada sobre os rumores da demissão do engenheiro especialista em exploração, Miguel Galuccio, que preside há 92 dias a nacionalizada YPF. Bonelli escreveu que Galuccio estaria descontente com a chefe de Estado porque na semana anterior, ela tinha assinado um decreto que regulamenta os preços e os investimentos de todas as empresas petrolíferas que operam na Argentina. De acordo com a direcção da empresa, esta medida desencoraja os projectos da YPF em parceria com outras empresas privadas. Tanto Kirchner como Galuccio negaram os rumores de demissão.

Recorde-se que a presidente da Argentina nacionalizou 51% da YPF, a filial da Repsol naquele país, em Abril. Em Junho, a YPF nomeou um conselho de administração de 17 membros, com Luis Garcia del Rio, como único representante da Repsol.

A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
asCetagbztys 08.11.2016

http://prednisone-online.cricket/ - buy prednisone online canada without prescription http://lasixgeneric.link/ - generic for lasix http://zithromaxzpak.review/ - zithromax z pak http://retin-a-micro-gel.bid/ - retin-a micro gel http://buy-clonidine.click/ - clonidine

Dono de bordel 13.08.2012

Com a boca nessa posição e os dedos a mostrarem o tamanho, que mais falta para se saber o que esta quer?

Cala-te ladra 13.08.2012

Quando um ladrão fala, o mais certo é estar a arranjar argumentos para encobrir o seu crime. Isto aplica-se a quem rouba uma galinha ou a quem rouba uma petrolífera mesmo que quem roube a petrolífera seja uma ladra a coberto de um cargo público e com um passado de mentiras como o caso do famoso cancro que milagrosamente desapareceu quando se deixou de falar da aquisição do imóvel bilionário que a Kirchner protagonizou com dinheiros que não consegue explicar cabalmente como lhe apareceram.

Anónimo 12.08.2012

http://www.youtube.com/watch?v=QYp3-RV9Ias&feature=youtu.be

Depois de ver o video só posso pedir uma caça ao homem Passos Coelho. Tenham tomates e acabem com ele da mesma forma como indevidamente acabaram com o Sá Carneiro

Privatizar as Aguas ? Vamos viver pior que os romenos ...

ver mais comentários
pub