Banca & Finanças Presidente da CMVM: “Não há acção especial” sobre o Montepio

Presidente da CMVM: “Não há acção especial” sobre o Montepio

Gabriela Figueiredo Dias afirma que o Montepio Geral está a merecer da CMVM a mesma atenção que é dada às restantes situações de supervisão.
Presidente da CMVM: “Não há acção especial” sobre o Montepio
Miguel Baltazar / Negócios
André Veríssimo 14 de março de 2017 às 20:30

A presidente da CMVM, Gabriela Figueiredo Dias, afirma que "não há uma reactividade especial" da parte do supervisor em relação ao Montepio Geral, na sequência das notícias que dão conta de debilidades na instituição.

Em declarações ao Negócios, à margem da assinatura de um protocolo de desenvolvimento da tecnologia "blockchain" que decorreu esta terça-feira na sede da associação portuguesa de fundos, a líder do supervisor afirmou que ao Montepio "está a ser dada a mesma atenção que a todas as outras situações que justificam a supervisão" da CMVM.


Questionada sobre se o supervisor estava a desenvolver alguma acção especial, Gabriela Figueiredo dias afirmou que "não há uma reactividade especial. Não há uma acção especial".


Nos últimos dias foram publicadas notícias que põe em causa a saúde financeira da Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) e da Associação Mutualista. O Expresso divulgou no sábado o conteúdo de um relatório do Banco de Portugal relativo ao exercício de 2016 onde se afirma que a CEMG apresenta "um perfil de risco elevado" e que ocorreu "uma consistente degradação da qualidade da carteira [de crédito] dos clientes".


Esta terça-feira o Público noticiou que as contas consolidadas da Mutualista referentes a 2015 apresentam capitais próprios negativos de 107 milhões de euros. O seu presidente, Tomás Correia, contrapôs esta terça-feira que "as contas consolidadas são ou não hábeis para avaliar situação patrimonial da própria associação mutualista. Não são hábeis para esse efeito. As individuais, essas sim, são para ver se uma organização mutualista, uma IPSS, tem uma base de capital que sustente as suas actividades", declarou Tomás Correia.


O Montepio tem vários instrumentos admitidos no mercado de capitais português, e um deles está até no PSI-20. São as unidades de participação no fundo da Caixa Económica, emitidas para reforçar o capital da instituição, colocadas junto dos investidores particulares em duas fases (Dezembro de 2013 e Junho de 2015).

Uma solução criticada em 2015 pelo anterior presidente da CMVM. "Quando aprovámos aquele instrumento, aprovámos com muitas reservas. Era um instrumento que tinha que ser bem explicado e relativamente ao qual os subscritores não podiam ter dúvidas", disse Carlos Tavares aos deputados, quando questionado na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças.

Os títulos foram subscritos por 1,00 euro. Ao fim da sessão de hoje valiam 0,411 euros.



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
bicho 14.03.2017

Srª Gabriela Dias tome atenção ao BCP, aquilo mais parece uma casa de vigários.

Anónimo 14.03.2017

É curioso verificar a quantidade de gente que ao abrigo do anonimato pretende denegrir e afundar aquela que é a mais antiga instituição financeira portuguesa e a única 100% de capitais nacionais.
Que mais não fosse pela integridade de carácter deveriam honrar a sua história.

Anónimo 14.03.2017

POIS. JA COM O BANIF, COM BES, ESTAVA TUDO BEM, E ACONTECEU, COM O MONTEPIO , HA MAIS DE DOIS ANPS QUE AS COISAS NAO ANDAM BEM, VEREMOS O QUE VAI ACONTECER.

Conselheiro de Trump 14.03.2017

Se for assim como diz,porque razao foi chamado o padre melicias.So nao sabemos para onde o padre melicias mandou o morto:se para o ceu,purgatorio ou inferno.

pub
pub
pub
pub