Media Primeiro-ministro da Guiné-Bissau manda retomar emissões da RDP e da RTP África no país

Primeiro-ministro da Guiné-Bissau manda retomar emissões da RDP e da RTP África no país

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, ordenou esta quarta-feira que fossem retomadas as emissões da RDP e da RTP África no país, antecipando a data acordada, 8 de Novembro, entre os governos guineense e português na terça-feira.
Primeiro-ministro da Guiné-Bissau manda retomar emissões da RDP e da RTP África no país
Colleen Taugher
Lusa 01 de novembro de 2017 às 18:21

"Autorizo a abertura imediata do sinal da RTP e da RDP África", disse à agência Lusa Umaro Sissoco Embaló, no final da reunião do Conselho de Ministros, em Bissau.

 

O primeiro-ministro guineense explicou que decidiu mandar retomar hoje as emissões devido às relações existentes entre a Guiné-Bissau e Portugal.

 

Os ministros responsáveis pela pasta da Comunicação Social de Portugal e da Guiné-Bissau anunciaram na terça-feira terem assinado um acordo político, que previa que as emissões da RDP e da RTP África fossem retomadas a 8 de Novembro.

 

A RDP África está a ser ouvida na Guiné-Bissau desde as 14:30.

 

As emissões da RTP África ainda não estavam disponíveis hoje à tarde, devido a um problema técnico relacionado com uma avaria no estabilizador de corrente provocado pelo mau tempo, prevendo-se para breve a resolução do problema.

 

As autoridades guineenses anunciaram, a 30 de Junho último, a suspensão das emissões da rádio e televisão públicas portuguesas, exigindo uma renegociação com o Governo português do acordo na área da comunicação social. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub