Bolsa Prisa dispara mais de 19% após venda da Media Capital

Prisa dispara mais de 19% após venda da Media Capital

As acções da espanhola Prisa já estiveram a subir mais de 19%, depois de ter sido revelado que chegou a acordo para vender a Media Capital. O BPI admite elevar a sua avaliação em 18% se o negócio se concretizar.
Prisa dispara mais de 19% após venda da Media Capital
Sara Antunes 14 de julho de 2017 às 11:13

As acções da Prisa, liderada por Juan Luis Cebrian (na foto), estão a subir 13,91% para 3,121 euros, tendo chegado a disparar um máximo de 19,71%. A subida expressiva da empresa espanhola está relacionada com o anúncio de venda da Media Capital à Altice.

 

O dia está também a ser acompanhado de uma liquidez elevada, tendo já trocado de mãos 653,6 mil títulos, quando a média diária é de 176,4 mil.

 

A Meo, detida pela Altice, chegou a acordo com a espanhola Prisa para comprar a Media Capital por 440 milhões de euros. O preço final da operação está sujeito aos ajustes habituais, diz a Prisa, que estima poder receber 321 milhões de euros pela sua posição. 

 

O valor do negócio "é superior à nossa avaliação", realça o analista Pedro Oliveira do BPI numa nota de análise publicada já esta sexta-feira, 14 de Julho, onde, na sua avaliação, apontam para que a Prisa recebesse 280 milhões de euros, em vez dos 321 milhões. Em termos contabilísticos, a operação representa uma menos-valia de cerca de 69 milhões de euros.

 

"Este negócio é claramente positivo para a Prisa que, depois da venda da Santillana, precisava de desinvestir e reduzir a alavancagem", adianta o analista.

 

O analista realça que "se a operação for aprovada pode ter um impacto positivo de 18% na avaliação da Prisa", que actualmente se encontra nos 4,80 euros. Esta avaliação já confere às acções da espanhola um potencial de subida de 53,8% tendo em consideração a actual cotação.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub