Banca & Finanças Privatização da CGD nunca foi tema para a administração entre 2000 e 2004

Privatização da CGD nunca foi tema para a administração entre 2000 e 2004

António de Sousa leu as notícias que davam conta da disposição do PSD em privatizar pelo menos metade do capital da Caixa Geral de Depósitos mas nunca essa vontade lhe foi transmitida.
Privatização da CGD nunca foi tema para a administração entre 2000 e 2004
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 03 de janeiro de 2017 às 15:48

A privatização da Caixa Geral de Depósitos não foi um tema discutido com a administração do banco público entre 2000 e 2004, segundo o presidente do banco neste período, António de Sousa.

 

O tema da privatização foi trazido para a audição desta terça-feira, 3 de Janeiro, na comissão de inquérito pelo Partido Socialista, pela voz do deputado coordenador João Paulo Correia, que mencionou as notícias que davam conta da intenção de retirar parte do capital da CGD da esfera pública.

 

"O que posso responder é que, como cidadão, obviamente li as notícias que apareceram e os discursos feitos", começou por responder António de Sousa.

 

Mas, enquanto presidente da administração do banco público, não sentiu qualquer disponibilidade. "Na articulação com os governos sucessivos, nunca esse assunto me foi levantado", declarou.

 

António de Sousa trabalhou na liderança da CGD com Pina Moura, Guilherme d’Oliveira Martins, Manuela Ferreira Leite e Bagão Félix como ministros das Finanças. Os três últimos estiveram já em audição na comissão parlamentar, tendo todos recusado qualquer interferência na gestão quotidiana na CGD, como a concessão de crédito. 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
chega Há 2 semanas

daqui a bocado com tatntas vendas poem-nos fora do pais

























Anónimo Há 2 semanas

chega de privatizaçoes














O LUGAR DE PASSOS È NA PRISÃO, PELA TECNOFORMA Há 2 semanas

É publicamente conhecida a grande mágoa do pulha Passos, por não ter podido privatizar a CGD e completar a sua sinistra agenda de passar a patacos (leia-se, privatizar) as melhores pérolas públicas, como fez, por exemplo com a EDP, cujos fabulosos lucros voam agora, em grande parte, para a China.

Anónimo Há 2 semanas


Os FP/CGA devem mais de 30 mil milhões de € ao estado (aos restantes contribuintes).


Ladrões PS - PCP - BE - e seus apoiantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


400 milhões de Euros para aumentar as pensões baixas, são migalhas em comparação com...


os mais de 4600 milhões de euros que o Estado vai injetar, em 2017 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o pagamento do buraco anual das pensões dos FP-CGA.


pub