Aviação Problema de combustível no aeroporto de Lisboa foi “falha técnica grave”

Problema de combustível no aeroporto de Lisboa foi “falha técnica grave”

A Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis diz que a sociedade formada pela Galp, Oz Energia, BP e Repsol potenciou o problema pela falta de uma “correcta monitorização”. Foi identificada também uma irregularidade na licença.
Problema de combustível no aeroporto de Lisboa foi “falha técnica grave”
Miguel Baltazar
Negócios 02 de junho de 2017 às 10:12

A Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC) classifica como "falha técnica grave" o problema de abastecimento que afectou o aeroporto de Lisboa a 10 e 11 de Maio.

Segundo um relatório citado pelo Público, a ENMC aponta as falhas ao Grupo Operacional de Combustíveis (GOC) - sociedade formada pela Galp, Oz Energia, BP e Repsol  - considerando que a falha foi "potenciada pela ausência de uma correcta monitorização".


A ENMC atribui o problema à falha no funcionamento de um dos elementos do sistema de aspiração e bombagem de combustível, que afectou mais de 300 voos na Portela e quase 42 mil passageiros.


A entidade conclui ainda que a licença de actividade do GOC é a de "armazenamento de produtos de petróleo para consumo" enquanto a actividade que exerce é de "abastecimento de combustíveis a aeronaves". A irregularidade é punível com coimas entre os 3.740 e os 44.890 euros.


Ao Público, o GOC não comenta por não ter conhecimento do relatório da ENMC.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira 02.06.2017

Uma sociedade de gasolineiras??? E depois esperam que haja concorrencia...só neste país. Bem nos chamam sujeitos PASSIVOS.....

pub
pub
pub
pub