Automóvel Produção de carros em Portugal desacelera em Novembro

Produção de carros em Portugal desacelera em Novembro

A queda no mês passado é menos expressiva que a de Outubro, mas contribui para que no acumulado do ano o número de carros a sair das fábricas portuguesas já esteja 10% abaixo do valor produzido em 2015.
Produção de carros em Portugal desacelera em Novembro
Bruno Simão/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 14 de Dezembro de 2016 às 16:43

Os fabricantes de automóveis sediados em Portugal tiraram o pé do acelerador em Novembro. O número de veículos produzidos no país recuou 2,7% em relação ao mesmo mês de 2015, com a produção de veículos pesados e de comerciais ligeiros a representar as maiores quedas homólogas.


No penúltimo mês do ano saíram das fábricas nacionais 13.441 viaturas, elevando o número total do ano para as 134,34 mil. No acumulado do ano – Janeiro a Novembro -, a queda já atinge os 10,5% face ao mesmo período de 2015, penalizada sobretudo pela marcha-atrás na produção de ligeiros de passageiros – menos 16,7%, chegando às 92,8 mil unidades.


"Esta descida é menos acentuada que a do mês anterior, mas evidencia a tendência de quebra nos ritmos de produção que tem sido registada ao longo de todo o ano de 2016," refere um comunicado da Associação Automóvel de Portugal (Acap), divulgado esta quarta-feira, 14 de Dezembro.


Os dados da Acap indicam que a quebra na produção é acompanhada de menos vendas ao exterior, o principal mercado para as viaturas produzidas no país. Até Novembro, foram exportadas 127,8 mil viaturas, valor que compara com 144 mil um ano antes, ou seja menos 16,2 mil veículos ou menos 11,2%.


A associação indica ainda que 90,8% das exportações de viaturas produzidas em Portugal têm o mercado europeu como destino, com a Alemanha e a Espanha à cabeça. Na Ásia, a China é o principal cliente dos carros portugueses.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana


Ladrões FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

UM EXEMPLO DE INJUSTIÇA QUE É URGENTE CORRIGIR

Um técnico superior reformado em 2005 pela Caixa Geral de Aposentações (CGA) levou uma pensão de 2.026 euros consigo. Se se tivesse aposentado na mesma altura, com o mesmo salário, pelas regras da Segurança Social, teria levado para casa 1.512 euros.

Ora bem 500€ x 10 anos x 12 meses = 60.000€ a mais, que esse gajo já embolsou desde 2005, à custa de quem trabalha.
Rica mama.
Deve ser obrigado a devolver tudo.

Enganei-me nas contas, são 14 meses por ano, ainda lhe estava a perdoar 10.000€ (sortudo).
Afinal tem que devolver 70.000€.

Receber 70.000€ a mais, em 10 anos?
Isso dá para comprar um carro de 30.000€, de 4 em 4 anos.

Este é mesmo o país das maravilhas... para alguns.


comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana


FANÁTICOS EXTREMISTAS

Os xuxa.s comunas são tão fanáticos como certas religiões que todos conhecemos.

Por isso acreditam em tudo o que os seus chefes dizem, e ameaçam / insultam todos os que denunciam as suas muitas asneiras e crimes!

Anónimo Há 1 semana


Ladrões FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

UM EXEMPLO DE INJUSTIÇA QUE É URGENTE CORRIGIR

Um técnico superior reformado em 2005 pela Caixa Geral de Aposentações (CGA) levou uma pensão de 2.026 euros consigo. Se se tivesse aposentado na mesma altura, com o mesmo salário, pelas regras da Segurança Social, teria levado para casa 1.512 euros.

Ora bem 500€ x 10 anos x 12 meses = 60.000€ a mais, que esse gajo já embolsou desde 2005, à custa de quem trabalha.
Rica mama.
Deve ser obrigado a devolver tudo.

Enganei-me nas contas, são 14 meses por ano, ainda lhe estava a perdoar 10.000€ (sortudo).
Afinal tem que devolver 70.000€.

Receber 70.000€ a mais, em 10 anos?
Isso dá para comprar um carro de 30.000€, de 4 em 4 anos.

Este é mesmo o país das maravilhas... para alguns.


pub
pub
pub
pub