Empresas Projecto de reabilitação urbana anglo-árabe de 100 milhões no Porto

Projecto de reabilitação urbana anglo-árabe de 100 milhões no Porto

A árabe MEFIC e a britânica Round Hill adquiriram um terreno de 7,8 hectares no Porto, próximo do campus universitário da Asprela, onde pretendem investir 100 milhões de euros num projecto de reabilitação urbana que inclui construção residencial para 1.200 estudantes.
Projecto de reabilitação urbana anglo-árabe de 100 milhões no Porto
A árabe MEFIC e a britânica Round Hill adquiriram um terreno de 7,8 hectares próximo do campus universitário da Asprela, no Porto.
Paulo Duarte
Rui Neves 29 de junho de 2017 às 00:01

O maior investimento num só projecto de reabilitação urbana no Porto vai ser promovido por uma "joint-venture" internacional e está estimado em 100 milhões de euros. A árabe MEFIC Capital e a britânica Round Hill Capital acabam de firmar a aquisição conjunta de um terreno de 7,8 hectares (78.061 metros quadrados) próximo do campus universitário da Asprela, onde pretendem edificar um complexo imobiliário que inclui a construção residencial para 1.200 estudantes, 200 apartamentos residenciais, um hotel, zonas comerciais, espaços para escritórios e estacionamento.

Situado na freguesia de Paranhos, à boca da Estrada da Circunvalação, no quarteirão compreendido entre as ruas do Amial, da Telheira e da Nova do Tronco, o projecto deverá entrar em obra "este Verão e estar concluído em 4/5 anos", adiantou ao Negócios fonte oficial dos promotores.

A parceria anglo-árabe destaca que "o terreno será incluído no Porto Innovation District", uma iniciativa entre a Câmara do Porto e as universidades, faculdades, escolas de negócios, hospitais, institutos e centros de pesquisa para a promoção da inovação, do empreendedorismo e do investimento na Invicta.

"Há vários anos que a Round Hill está a analisar o mercado português e estamos extremamente contentes com a aquisição deste lote de terreno para reabilitação com utilização mista", afirmou Michael Bickford, CEO desta empresa britânica especialista em investimento, desenvolvimento e gestão de activos imobiliários.

Já o administrador executivo da MEFIC Capital enfatizou que os responsáveis desta empresa saudita de serviços financeiros estão "muito contentes" que "o primeiro investimento da MEFIC fora da Arábia Saudita seja feito em Portugal - um país que partilha os nossos valores de integridade e profissionalismo", garantiu Ibrahim A. Al Hedaithy.

O gestor da MEFIC Capital, instituição que opera como um banco de investimento e tem como accionistas entidades como o Ahli United Bank e o The Arab Investment Company (TAIC), sublinhou que "o crescimento económico é um factor-chave de atractividade", manifestando interesse em participar "no crescimento do Porto enquanto destino de investimento a nível europeu".

Michael Bickford também elogiou a atractividade do mercado nacional, considerando que "Portugal encontra-se actualmente a beneficiar de tendências macroeconómicas positivas, indicadores sólidos na oferta/procura no segmento da residência para fins académicos, hotelaria, propriedade residencial e um ambiente de investimento positivo".

De resto, Bickford adiantou que a Round Hill, que "já investiu mais de seis mil milhões de euros em activos imobiliários europeus" desde a sua fundação, em 2002, "continua atenta a novos investimentos em Portugal com características de valor semelhantes". 




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 29.06.2017

A mouraria do Porto está em andamento.

comentários mais recentes
ze 30.06.2017

Hehe ! Os murcões já devem estar a espumar de ser a sua "inbicta" a ser vendida ao verdadeiros "mouros" ... pode ser que assim deixem de chatear o resto do país com as suas queixinhas.

Raul Silva 29.06.2017

Com a queda do preço do petróleo há que ser São Tomé, ver para crer.

Pretendem investir ! só não diz é 29.06.2017

com que dinheiro. De intenções está o mundo cheio e quem lê a noticia, sabe como se processa estes investimentos. Quanto à cidade do Porto sem culpa dos (muitos) chicos espertos que por lá pululam, vive do choradinho em choradinho, desenrascando-se com os tais "empresários" que o são só de nome.

nuno 29.06.2017

Em UK varios blocos novos contruidos para estudandes são autênticos mamarrachos, sem qualquer enquadramento arquitetónico. A ver se não fazem a mesma mostruisidade no Porto. Abraço

ver mais comentários
pub