Aviação Prorrogado concurso para concessão das viagens aéreas entre Madeira e Porto Santo

Prorrogado concurso para concessão das viagens aéreas entre Madeira e Porto Santo

O concurso para a concessão da linha área entre o Porto Santo e a Madeira foi alargado por um período de mais 60 dias, de acordo com o aviso de prorrogação publicado hoje em Diário da República.
Prorrogado concurso para concessão das viagens aéreas entre Madeira e Porto Santo
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 18 de dezembro de 2017 às 13:17
De acordo com o aviso de prorrogação de prazo assinado pelo gabinete do secretário de Estado das Infraestruturas, o prazo fixado para a apresentação das propostas foi prorrogado até 16 de Fevereiro de 2018.

A 15 de maio deste ano a concessão das viagens aéreas entre Porto Santo e a Madeira à Aerovip, empresa aérea que faz parte do grupo Sevenair, foi prorrogada por mais um ano pelo Governo da República Portuguesa, anunciou nesse dia o grupo Sevenair.

Fonte oficial do grupo disse na altura à agência Lusa que o Governo da República Portuguesa "propôs à Sevenair a prorrogação do prazo da concessão por mais um ano da linha Porto Santo - Madeira", motivo pelo qual poderia começar a aceitar reservas a partir de 5 de Junho.

De acordo com o Governo Regional da Madeira, o prolongamento da concessão à Aerovip, por mais um ano, "resolve de imediato o problema, mas adia a solução".

A 31 de Dezembro de 2013, a SATA deixou de efectuar esta rota, alegando que o valor da indemnização compensatória era "manifestamente insuficiente", e foi substituída depois pela Aerovip, companhia que venceu o concurso da concessão da linha por três anos, que terminava a 31 de maio deste ano.

A 3 de Março foi publicada em Diário da República a resolução do Conselho de Ministros que autoriza a realização da despesa relativa à adjudicação da prestação de serviços aéreos regulares, em regime de concessão, na rota Porto Santo/Funchal/Porto Santo, pelo período de três anos, no valor de cerca de 5,6 milhões de euros.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar