Banca & Finanças PS avisa que administradores da CGD têm de sair se não entregarem declarações no TC

PS avisa que administradores da CGD têm de sair se não entregarem declarações no TC

O presidente do PS afirmou este domingo que a administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem de sair caso não cumpra o prazo para a entrega das declarações de património e de rendimentos no Tribunal Constitucional (TC).
PS avisa que administradores da CGD têm de sair se não entregarem declarações no TC
Miguel Baltazar
Lusa 20 de Novembro de 2016 às 19:31

Esta posição foi assumida por Carlos César em declarações aos jornalistas, após ter sido recebido na Câmara Municipal de Seia pelo presidente da autarquia, Filipe Camelo, no primeiro ponto do programa de três dias de Jornadas Parlamentares do PS no distrito da Guarda.

 

"O Tribunal Constitucional já notificou os administradores da CGD no sentido de que devem entregar [as declarações de património e de rendimentos. Por isso, a questão é muito simples: se no prazo adequado os administradores da Caixa o fizerem, está tudo bem; se não o fizerem, não devem continuar como administradores da CGD", declarou o líder da bancada socialista.

 

Questionado pelos jornalistas sobre a demora na resolução da questão entre os administradores da CGD e o Tribunal Constitucional e se o Governo terá feito algum acordo por escrito que dispensaria esses administradores de entregarem as respectivas declarações de rendimentos e de património, Calos César defendeu que o tema "tem um princípio e um desfecho muito claros".

 

"O primeiro-ministro [António Costa] já disse que não havia nenhum acordo respeitante às questões das declarações de rendimentos, o ministro das Finanças [Mário Centeno] disse o mesmo, o Presidente da República já deu conta do seu entendimento que essas declarações deveriam ser entregues e o Tribunal Constitucional já notificou os administradores da CGD", referiu.

 

Sobre a existência de um memorando escrito, no qual o Governo terá dispensado os administradores da entrega de declarações de rendimentos e de património, o presidente do Grupo Parlamentar do PS considerou que já respondera a essa questão.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Pagador Há 2 semanas

Mostrem o que têm, para sabermos, depois, o que vão sacar para as contas pessoais ! Eu não acredito nestes funcionários agora colocados na cgd cheios de mordomias.

Anónimo Há 2 semanas

Claro que ficam!! o Domingues lá ia largar o osso!! Mostra a coluna do homem...mas o Centeno também que paga bem... devem ter acertado nos variáveis...

Anónimo Há 2 semanas

Lá ver se nos entendemos, quando esta notícia fala do PS quer dizer governo, mas como o governo fez asneira lá vem o PS fingir que tem voz grossa a ver se o pato tuga compra a história. A realidade é que a esquerda achou que pode manipular a lei, típico de gente arrogante!

Pedro Lima Há 2 semanas

Se isto fosse um país minimamente civilizado, já teriam saído Domingues e a sua trupe e Mário Centeno teria caído do poleiro. Claro que com juros a uma décima dos 4%, e com a DBRS a poder tirar-nos o acesso aos mercados na próxima revisão, Costa sabe que as balelas que profere têm pavio curto.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub