Banca & Finanças PS: Centeno "tem falado a verdade" e a prova chega na terça-feira

PS: Centeno "tem falado a verdade" e a prova chega na terça-feira

Os socialistas acusam o CDS de uma acusação que representa "uma montanha que pariu um rato". As missivas de Domingues a Centeno poderão vir a ser tornadas públicas na próxima terça-feira.
PS: Centeno "tem falado a verdade" e a prova chega na terça-feira
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 09 de fevereiro de 2017 às 20:00

O Partido Socialista defende que Mário Centeno tem dito a verdade sobre a Caixa Geral de Depósitos: nunca assumiu qualquer compromisso. Por isso, diz o deputado João Paulo Correia, o CDS, ao afirmar que o ministro das Finanças mentiu, está a fazer uma acusação que não corresponde à verdade. Mas as provas só chegam na terça-feira.

 

Tudo começou nas cartas enviadas por António Domingues à comissão de inquérito, com o selo de confidencial, e que só poderiam ser lidas por seis deputados, mas que foram reveladas pelo jornal Eco. Em declarações aos jornalistas, o deputado socialista referiu-se às missivas, ressalvando que a matéria está "em estado confidencial", mas dando uma garantia sobre as mesmas: "Em momento algum, nessa correspondência, o ministro das Finanças se compromete acerca da dispensa" da entrega das declarações de rendimentos e de património aos gestores da CGD.

 

Numa carta de 15 de Novembro, Domingues refere que esse sempre foi um ponto acordado entre o próprio e o Ministério das Finanças para ter assumido a presidência da CGD. O PS defende que Centeno nunca assume esse compromisso.

 

"O ministro das Finanças tem falado a verdade", garantiu o deputado que coordena os socialistas na comissão de inquérito às causas da capitalização de 5.160 milhões de euros do banco público.

 

Questionado pelo facto de o secretário de Estado Ricardo Mourinho Félix ter dito que a alteração legislativa que retirou a CGD do estatuto de gestor público e permitiu aumentos salariais e a dispensa da entrega das declarações no Constitucional tinha sido "intencional", João Paulo Correia afirmou que "as declarações foram contextualizadas, produzidas há meses, já foram objecto de réplica", não respondendo.

 

Terça-feira

 

Sobre o CDS, que acusa Centeno de ter mentido quando afirmou à comissão de inquérito que não tinha correspondência trocada com Domingues sobre as negociações para a entrada da CGD, João Paulo Correia diz que "a acusação foi uma montanha que pariu um rato".

 

O socialista não explicou por que motivo diz isso, referindo-se à confidencialidade. Aliás, por isso, remeteu novidades para terça-feira.

 

No próximo dia 14, a comissão de inquérito irá reunir-se para decidir o que fazer à correspondência enviada por Domingues, dizendo que há partes que poderão não ser admissíveis na iniciativa por estarem fora do objecto mas que outras poderão vir a ser distribuídas por todos os deputados para além dos coordenadores e do presidente.

 

"Só na terça-feira é que irão ver que todas estas acusações são infundadas. O ministro tem falado a verdade", frisou o socialista. 




A sua opinião16
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 6 dias

Que mal é que tem termos um ministro das finanças que é aldrabão ?

Passos diz que não sabia que tinha que fazer desco Há 1 semana

È artista do PSD,é por estas que deixei de dar o voto ao PSD,foi para a geringonça e acertei para o bem de Portugal.PSD não purgou os eucaliptos mas vão pagar caro,o povo abriu os olhos.

Fernando Há 1 semana

Para: Pedro
Nao questionei a origem da frase, pus em causa o brasileirismo!
Maus-tratos à língua são cada vez mais comuns, já ninguém liga - nem políticos, nem jornalistas...

00SEVEN Há 1 semana

Será que a terça-feira que este João Paulo refere é a de são-nunca-à tarde?
Um país já sem remédio onde a mentira é defendia com unhas e dentes com uma desfaçatez que revolta o mais sereno!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub