Banca & Finanças PS insiste em nacionalizar Novo Banco

PS insiste em nacionalizar Novo Banco

Ao Diário de Notícias, João Galamba defende que a nacionalização do Novo Banco não vem trazer novos custos mas apenas “reconhecer” os que já existem. Para o deputado, o Estado não deve pagar para ter de vender a instituição que sucedeu o Banco Espírito Santo.
PS insiste em nacionalizar Novo Banco
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 09 de Janeiro de 2017 às 11:23

O deputado socialista João Galamba defendeu esta segunda-feira, 9 de Janeiro, ao Diário de Notícias, a nacionalização do Novo Banco. Para o também vice-presidente da bancada do Partido Socialista (PS), "nacionalizar de facto não traz novos custos, apenas reconhece custos que sempre existiram".

"Só quero que o Estado assuma em pleno e de forma normal o que já existe", afirma Galamba lembrando que o Estado já se encontra no Novo Banco através do Fundo de Resolução.


O deputado socialista lembra que a actual proposta da Lone Star fica abaixo do valor aplicado para recuperar o banco após a resolução do Banco de Portugal a 3 de Agosto de 2014. Desse modo, o Estado estaria "a pagar" para vender o Novo Banco.


"Uma das piores coisas que se pode fazer a um banco é pôr-lhe um carimbo de ‘transitório para venda’", recordou.


Também outras vozes do PS se juntam a esta posição, escreve o Diário de Notícias referindo os nomes de Eurico Brilhante Dias e Paulo Trigo Pereira. "A nacionalização é uma opção táctica que deve estar em cima da mesa caso não haja nenhum interessado em candidatar-se de forma adequada ao banco", afirmou Brilhante Dias.


O próprio ministro das Finanças, Mário Centeno, não tinha afastado na semana passada a hipótese de nacionalizar o Novo Banco.




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado SÍTIO MUITO MANHOSO Há 1 semana

...NEM DEVIAM HESITAR !!! NÃO SE PODE DEITAR FORA 5.900 MIL MILHÕES DE EUROS QUE TODOS NÓS LÁ METEMOS, E VENDER POR 700 MILHÕES !!!

...MAS TAMBÉM DEVEM REAVER TUDO O QUE FOI ROUBADO ( de roubo se trata 25.000 € / mensais ) AO PANTOMINEIRO DO SÉRGIO MONTEIRO !!!

...MAIS : DEVEM PRENDER TODOS OS DO GOVERNO ANTERIOR, QUE NADA MAIS FIZERAM O QUE ENTERRAR O BES / NOVOBANCO. VEJAM BEM O QUE FEZ A LOURA...

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Esta gente nunca aprende. Já se esqueceram do poço sem fundo do BPN depois de nacionalizado.Estes deputados da treta gostam muito de fazer asneiras com o dinheiro dos contribuintes.Se for nacionalizado e der muitos prejuízos que vai dar, a PGR deve responsabilizar quem o fez.

manuelfaf Há 1 semana

Então? Como é...? Querem agora estragar a negociata? Para quê que serve o Estado?
Vá lá, deixem de tretas, abram lá a época de saldos até 90%.
Se temos tantos interessados o negócio deve ser bom.
Os contribuintes pagam é para beneficiar uma entidade privada qualquer. Se não for assim fico confuso, não sei qual é o papel do Estado num país.

Camponio da beira Há 1 semana

Como nos anteriores negocios, depois de vendidos os bancos, ainda tiveram que indemnizaram os compradores em importancias varias vezes superiores, siginifica que vale mais nacionalizar, semprefica mais barato.

Jefferson Há 1 semana

Fazem bem. Só em salários... quanto é para cada CEO? 30 mil, não é? Sim, porque o PM quer ter a certeza de que é bem gerido e esse é o valor do mercado. Posso fazer depósitos em arte? Se sim, vou às Caldas e depois deposito uma coleção em cerâmica. Se falir, ofereço-a ao Banco de Portugal.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub