Banca & Finanças PSD apoia limite aos poderes do Banco de Portugal
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

PSD apoia limite aos poderes do Banco de Portugal

Os social-democratas antecipam-se ao Governo e apresentam esta quinta-feira um pacote legislativo para a supervisão da banca. O PSD não vai tão longe quanto o Executivo de António Costa promete na retirada de poderes do Banco de Portugal, mas também o afecta.
PSD apoia limite aos poderes do Banco de Portugal
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 20 de julho de 2017 às 00:01

O Partido Social Democrata considera que o Banco de Portugal não deve ter mais força do que os restantes supervisores do sistema financeiro. Essa é uma das conclusões do pacote de iniciativas legislativas que o grupo parlamentar )

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 20.07.2017

Sou obrigado a pagar através de comissões, contribuições e impostos o nível de vida passado, actual e futuro de 2200 assalariados da CGD que não são lá precisos para nada. O sindicato deles, o Sindicato Bancário do Sul e Ilhas (SBSI), já analisou os termos oferecidos pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) no programa de “Revogações por Mútuo Acordo”, divulgado na última semana de Junho aos trabalhadores do grupo público. E a sentença é negativa: “As condições propostas aos trabalhadores ficam aquém das expectativas.” E agora pergunto eu, quem regula e supervisiona estas criaturas? As do escândalo CGD e de outros escândalos semelhantes. Há muitos casos destes nas organizações portuguesas.

Anónimo 20.07.2017

Exactamente J. Silva, esses banqueiros de raiz nacional que se perderam na infinidade de empresas e empresazinhas usadas para dificultar o rastreio dos capitais e se deixaram comer pela elite angolana, não se apercebendo que estavam lentamente a depauperar o banco de família, e mesmo o seu nome...

J. SILVA 20.07.2017

Esse bandido do governador se tivesse vergonha na fuça já tinha abandonado o barco, destruiu ,com a conivência do governo anterior, a banca de raiz nacional.. Não entendo não haver o mínimo de decência nos dirigentes deste país para o pôr ao fresco. ELE é que deveria ser investigado e preso.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub