Banca & Finanças PwC alvo de multa de 10,5 milhões de euros em Espanha

PwC alvo de multa de 10,5 milhões de euros em Espanha

O ICAC, instituto espanhol que funciona junto do Ministério da Economia, aplicou uma multa de 10,5 milhões de euros à PwC. A prática de "infracções muito graves" no que diz respeito a conflitos de interesse são a justificação. A auditora impugnou.
PwC alvo de multa de 10,5 milhões de euros em Espanha
Bloomberg
Diogo Cavaleiro 13 de fevereiro de 2018 às 19:08

A PwC foi multada, em Espanha, em 10,5 milhões de euros. O Instituto de Contabilidad y Auditoría de Cuentas (ICAC) considera que a auditora prestou, ao mesmo tempo, serviços de auditoria e consultoria, a que estava impedido. A empresa discorda.

 

A decisão do instituto data de 29 de Dezembro, mas só foi tornada pública esta terça-feira, 13 de Fevereiro, segundo informação divulgada pelo jornal Voz Pópuli. Foram aplicadas duas multas por um valor que corresponde a 5,25% dos honorários recebidos pelos trabalhos de auditoria no ano imediatamente anterior à decisão de aplicação de multa. É aí que se chega à multa de 10,5 milhões de euros.

 

Segundo relatado pela imprensa espanhola, a auditora é acusada da prática de actos que configuram "infracções muito graves" pela sua ligação à empresa Aena. O auditor sócio Alejandro García López enfrenta uma multa total de 48 mil euros, de acordo com o Voz Pópuli.

 

A multa do ICAC, adstrito ao Ministério da Economia, deve-se a questões de falta de independência: a PwC era a auditora da Aena em 2015, ano em que a empresa dispersou capital em bolsa, operação para a qual a PwC prestou serviços de consultoria. Os auditores externos enfrentam regras de impedimentos e incompatibilidades que limitam a prestação de serviços de consultoria (fiscal, jurídica e afins) à mesma empresa. 

A Aena é a gestora aeroportuária espanhola, privatizada parcialmente em 2015 com a ida para a bolsa. No entanto, a maioria do capital, 51%, continua a pertencer ao Estado. Foi a operação através do qual parte do capital passou para os privados em que a PwC participou de várias formas a motivar a multa. 

 

A PwC, uma das "big four" do mundo da auditoria e que tem presença em Portugal, impugnou a decisão do ICAC. "Os trabalhos realizados na Aena cumpriram escrupulosamente com todas as normas de independência nacionais e internacionais, como demonstra a documentação disponibilizada durante o processo", disse a empresa ao El Mundo.

 

A publicação escreve que esta é uma das multas mais elevadas aplicadas a auditoras. A Deloitte teve de pagar 12 milhões de euros numa multa por ser auditora do Bankia, em 2011. 

Na carteira de clientes em Portugal, e no sector da aviação, a PwC conta com a TAP (auditou as contas de 2016).