Telecomunicações Qualcomm multada pela concorrência coreana em mais de 800 milhões

Qualcomm multada pela concorrência coreana em mais de 800 milhões

A fornecedora de tecnologia móvel norte-americana Qualcomm teve uma multa sem precedentes na Coreia do Sul. E garante que vai recorrer da decisão.
Qualcomm multada pela concorrência coreana em mais de 800 milhões
Bloomberg
Negócios 28 de dezembro de 2016 às 07:58
O supervisor da concorrência da Coreia do Sul condenou a empresa norte-americana Qualcomm ao pagamento de uma coima de 1,03 biliões de won (811 milhões de euros) pela violação das leis da concorrência, anunciou a entidade, citada pelas agências internacionais.

A Comissão da Concorrência considerou que a empresa licenciou as suas patentes apenas para os construtores de equipamentos móveis, não tendo, negociado apropriadamente os termos do licenciamento. A entidade considerou, ainda, que a Qualcomm coagiu os seus clientes a assinarem contratos de licenciamento quando vendiam chips utilizados nos telemóveis vendidos no país.

A empresa, segundo a Bloomberg, estará sob investigação também nos Estados Unidos e na Europa. O maior lucro da Qualcomm advém, precisamente, do licenciamento da tecnologia utilizada nos sistemas de telemóveis. São 6,5 mil milhões de dólares de lucros deste negócio.

A Qualcomm já considerou a decisão sem precedentes e insuportável, garantindo que vai recorrer da coima. 

Para empresas como a Samsung ou LG, ambas da Coreia do Sul, esta acção pode resultar em menores pagamentos à Qualcomm. A Samsung é o segundo maior cliente da Qualcomm. 

Além da coima, a comissão da concorrência quer que a Qualcomm disponibilize aos fornecedores de chips o acesso às suas patentes-chave, e se abstenha de aplicar condições consideradas injustas aos clientes quando assinam contratos.

O valor da multa é o mais elevado aplicado pelo regulador da concorrência da Coreia do Sul.

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub