Tecnologias Qualcomm prepara luta a oferta de 100 mil milhões da Broadcom

Qualcomm prepara luta a oferta de 100 mil milhões da Broadcom

Está em cima da mesa a maior aquisição de sempre no sector tecnológico, mas a oferta da Broadcom não deverá ser encarada como amigável pela Qualcomm.
Qualcomm prepara luta a oferta de 100 mil milhões da Broadcom
Bloomberg
Nuno Carregueiro 06 de novembro de 2017 às 08:50

A Broadcom deverá avançar esta segunda-feira com uma oferta oficial de 70 dólares por cada acção da Qualcomm, o que avalia a tecnológica em 100 mil milhões de dólares.

 

A notícia foi avançada na sexta-feira pela Bloomberg, que hoje dá conta que a oferta não será amigável, pois a Qualcomm está contra a operação que a concretizar-se será a maior de sempre no sector tecnológico.

 

A Qualcomm argumenta que a oferta desvaloriza a empresa, é oportunista porque aproveita um momento de fraqueza nas acções da cotada, e enfrenta fortes constrangimentos regulatórios.

 

Assim, apesar de a oferta nem ser ainda oficial, o conselho de administração da Qualcomm já terá decidido que esta será rejeitada. A união da Broadcom com a Qualcomm criará um gigante do sector tecnológico, com forte presença em vários dos componentes de telefones, servidores e outros aparelhos electrónicos. No ranking das fabricantes mundiais de "chips" surgiria em terceiro lugar.

 

Um dos argumentos da Qualcomm é a dificuldade do negócio ser aprovado pelos reguladores sem que sejam impostos fortes constrangimentos. É que a Broadcom teve dificuldades em que fosse aprovada a recente aquisição da Brocade Communications, enquanto a própria Qualcomm está em processo de aquisição da holandesa NXP por 47 mil milhões de dólares.

 

As acções da Qualcomm dispararam 13% na sexta-feira, para 61,81 dólares, mostrando que o mercado ainda assim tem sérias duvidas que a oferta possa ser concretizada. No ano passado a Qualcomm negociou em bolsa acima dos 70 dólares, mas nos últimos meses tem sido penalizada sobretudo pelas multas impostas por vários reguladores, um pouco por todo o mundo.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira Há 1 semana

estes negocios de milhões, passam completamente ao lado de 99% dos cidadãos, para nós isto quase parece ficção, mas a verdadde é que muitas vezes isto não passa de jogadas que depois os tais 99% que nada sabem, vão pagar.