Empresas Quase 6.700 empresas foram à falência em Portugal em 2012

Quase 6.700 empresas foram à falência em Portugal em 2012

Número de insolvências aumentou 41% no ano passado. Cosec prevê que Portugal seja um dos quatro países europeus a escapar a um novo aumento das falências em 2013.
Quase 6.700 empresas foram à falência em Portugal em 2012
Negócios 30 de janeiro de 2013 às 11:08

No ano passado, as insolvências em Portugal totalizaram 6.688, o que representou um aumento de 41% face a 2011, ano em que desapareceram 4.746 empresas, revela o estudo anual de insolvências realizado pela COSEC. 

 

O distrito do Porto foi o mais afectado, com 23,84% do total de insolvências a nível nacional (1.598), seguindo-se Lisboa, que registou um quinto do casos (1.371 ou 20,5%). Braga foi o terceiro distrito, responsável por 12% do total. Pelo contrário, Bragança registou o menor número de encerramentos, apenas 0,5% do total de insolvências (33 registos), abaixo de Portalegre, Beja e Açores, com 0,7% dos casos.  

 

Segundo o estudo da Cosec, 76% das empresas insolventes são microempresas, “com uma prevalência para um número acentuado de registos de empresas desta dimensão nos sectores de construção (20%), retalho (14%) e serviços (13%)”, refere em comunicado.

 

O sector da construção foi o mais afectado, representando cerca de 28% do total das insolvências em 2012, com 1.846 casos.  De acordo com a Cosec, o desaparecimento de empresas foi visível ainda nos sectores do retalho (16%) com 1.093 casos, serviços (15%) com 1.015 casos e o sector têxtil (8%) com 519 casos. Os que registaram maior variação no número de casos de insolvência, face ao ano anterior, foram os sectores dos serviços, metalúrgico e produtos químicos com uma variação de 58%, 56% e 54% respectivamente.

 

Pelo contrário, o sector de computadores e telecomunicações representou apenas 0,4% dos casos e o da electrónica 0,9%.

 

De acordo com a análise da empresa especialista em seguros de créditos, Portugal será um dos quatro países europeus, a par de Reino Unido, Noruega e Suíça, que deverá apresentar uma redução no número de insolvências em 2013, depois de sete anos consecutivos de um acentuado crescimento deste indicador.

 

A nível mundial, segundo a COSEC, as insolvências em 2012 registaram um aumento de 1%, devendo aumentar 4% em 2013.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
isto só para o teu traseiro 30.01.2013

Já viste amor o que faz o ciúme, não deves fazer caso detes atrasadinhos, pois eles nunca teram um traseiro como o teu; entendes amor, não tem nenhum canibal que não elogie o teu traseiro; o sucesso é garantido, pois um traseiro como o teu não existe, daí toda esta ciúmeira! ! beijocas

pub