Media Quatro empresas disputam a marca Tesla em Portugal

Quatro empresas disputam a marca Tesla em Portugal

Desde o início do ano, duas empresas disputam o nome Tesla para o mercado português, mas a marca já está protegida para os automóveis da Tesla Motors e para os sistemas de comunicações da checa Tesla Holdings AS.
Quatro empresas disputam a marca Tesla em Portugal
Reuters
Tiago Freire 06 de junho de 2017 às 22:00
A Tesla Motors tem estado na boca dos portugueses, e há até um movimento da sociedade civil para que o grupo de Elon Musk instale em Portugal uma fábrica de baterias para os seus carros eléctricos. Mas não é só aí que os destinos da Tesla se cruzam com Portugal: no nosso país há quatro empresas diferentes que disputam o nome da marca.

Uma delas é, naturalmente, a norte-americana Tesla Motors, que conseguiu há alguns anos o registo de marca internacional para o nome Tesla. Este abrange vários países, entre eles Portugal, para as categorias de automóveis e de serviços de reparação e aluguer de automóveis.

Acontece que há outras empresas que usam a mesma marca, para outro tipo de produtos. Uma delas é a Tesla Holding AS, da República Checa, que actua no ramo dos sistemas de electrónica e comunicações para defesa. E depois há mais duas empresas, que querem a marca em Portugal, mas que não fabricam qualquer produto para os quais pedem o registo.

Uma delas é o Internet Group DOO, da Sérvia, que opera na área de marketing e comunicações, tendo feito pedidos em várias jurisdições para registar a marca Tesla. E, por último, uma sociedade ainda mais misteriosa, a Fashion International Limited, com sede em Londres, e sem actividade conhecida.

Vamos por partes, começando por esta última.

A Fashion International Limited fez um pedido no Instituto Nacional de Propriedade Industrial, em Janeiro, para registar a marca Tesla para utilização em várias categorias de produtos como serviços de comunicações, motores (excepto veículos terrestres) ou equipamentos de processamento electrónico de dados, entre outros. O mistério acerca da identidade e da intenção desta empresa adensa-se quando se pesquisa a sua morada. É exactamente o mesmo escritório londrino que alberga dezenas de empresas, e tem como um dos administradores Michael Gleissner, figura do entretenimento que tem gerado alguma polémica por ter tentado registar, nos últimos anos, inúmeras marcas e domínios da internet com as quais não terá ligação, segundo um artigo da World Trademark Review.

Acontece que este pedido de registo foi confrontado com a oposição da sérvia Internet Group, num processo que está em fase de análise. No entanto, o próprio Internet Group já tentou por várias vezes registar a marca em Portugal, sem sucesso. Além da marca Tesla, o Internet Group DOO tentou também registar um logótipo, com semelhanças ao da Tesla Motors. Na altura, a oposição veio da checa Tesla Holdings AS, a quem foi dada razão.

Ou seja, quanto ao último processo entrado, em confronto estão a Fashion International Limited - que pediu o registo - e o Internet Group - que se opôs - sem que qualquer dos grupos comercialize, aparentemente, qualquer produto com a marca Tesla em qualquer mercado. Para já, e no que toca a Portugal, a marca Tesla está protegida para a norte-americana Tesla Motors e para a checa Tesla Holdings AS, em relação a produtos distintos.

Mas então qual será a intenção destas outras empresas? O advogado português que representa a Fashion International diz não ter informação sobre se a empresa pretende introduzir qualquer produto com aquela marca, em Portugal. Por outro lado, uma especialista em propriedade intelectual, ouvida pelo Negócios, defende que não é certo que haja uma tentativa de associação aos automóveis da Tesla, até porque os pedidos de registo têm sido noutras categorias de produtos.

Mas, no meio deste processo todo, houve um episódio que levou mesmo a empresa norte-americana a apresentar uma contestação em Portugal. Em Setembro de 2014, um cidadão português quis registar a marca "Tesla Energy Batteries", incluindo entre os produtos protegidos as baterias de lítio. Então a empresa de Elon Musk opôs-se, tal como a Tesla Holding AS. Resultado: o registo foi recusado.

Quanto à Tesla Motors, está prometida para este ano a abertura de uma loja e centro de serviços em Lisboa. Não há ainda decisão quanto à fábrica de baterias na Europa, na qual Portugal está interessado.

Nikola Tesla, um génio que correu o mundo

Considerado um dos maiores cientistas de sempre, Nikola Tesla nasceu em 1856 em Smijan, na Croácia, então parte do Império Austríaco. Foi desde cedo uma personagem diferente, dada a esgotamentos nervosos e fobias. Estudou Engenharia Eléctrica mas a sua formação académica foi errática, preferindo a leitura de livros e as experiências, sempre na área da energia. Trabalhou na Hungria, em França e nos EUA, tornando-se cidadão norte-americano em 1891.

Fez vários trabalhos braçais e menores, mas ia sempre impressionando com os seus conhecimentos. Nos EUA chegou a trabalhar para Thomas Edison, mas despediu-se, desiludido com a gestão daquele. Venceria mais tarde a chamada "Guerra das Correntes", com o governo norte-americano a adoptar a sua corrente alternada, contrariando a solução de Edison.

Amigo de Mark Twain, Tesla era conhecido pela forma teatral como apresentava as suas invenções. Foi autor de centenas de invenções e responsável por novas ideias e formas mais eficientes de aproveitamento da energia eléctrica e do radiomagnetismo. Morreu em 1943, em Nova Iorque.     




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
De Mattos Sébastien 09.06.2017

Acabei de ler um dos artigos mais interessantes a nível da P Industrial dos últimos anos.
Obrigado ao Tiago, e aproveito para dizer que não nos conhecemos e nem teríamos de nos conhecer!
Acontece-Tiago-que o artigo tem alguns erros de contexto e são próprios de quem está por fora da PI. Poderia, por ex até ser referido mais uma classe de música em que aparece também a marca Tesla. Portanto são 43 classes e dentro destas tudo é possivel. De referir que uma marca torna-se apetecível quando à sua volta há uma aurea de positivismo ou de crença e que é o caso da Tesla. Ou ao contrário uma marca que já passou por uma ou várias falências ninguém está interessado na mesma!. Quand a Patrícia Candeias me adicionou a um dos grupos de trabalho do grupo bring tesla gigaf to portug, eu disse que aceitava ...mas que no fundo poderia ser num outro e referi o da P Ind, pois que registo marcas há 40 anos e acabei a ficar um conhecedor-falamos dos Tratados de Nice/Paris/Madrid #DeMattosSébastien

Manuel 07.06.2017

Este problema já existe à cerca de 20 anos. Como ainda não "legislaram" a nível mundial para acabar com estas "ChicoEspertices"?

Anónimo 06.06.2017

Unbelivable :"um cidadão português quis registar a marca "Tesla Energy Batteries", incluindo entre os produtos protegidos as baterias de lítio. " até onde um gajo se pode julgar mais esperto que os outros

Anónimo 06.06.2017

Tesla foi o maior gênio da história a nível de invenções é o mais injustiçado e o maior desconhecido vendo que o Marconi ganha o Nobel , quando a invenção é do Tesla o supremo americano dá-lhe razão alguns depois da sua morte .

Um resumo das suas invenções

https://www.oficinadanet.com.br/post/17762-principais-invencoes-de-nikola-tesla

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub