Turismo & Lazer Quinta do Lago demarca-se de promotora imobiliária que deve 278 milhões à CGD

Quinta do Lago demarca-se de promotora imobiliária que deve 278 milhões à CGD

A empresa que gere o resort da Quinta do Lago não quer ser associada à promotora Birchview, sociedade a que a CGD recusou a recuperação. A Quinta do Lago SA lamenta que a marca e o território se confundam.
Quinta do Lago demarca-se de promotora imobiliária que deve 278 milhões à CGD
Correio da Manhã

A Quinta do Lago SA, que gere o empreendimento turístico no Algarve, demarca-se de qualquer ligação à Birchview Imobiliária, a promotora imobiliária que tem projectos naquela região do Algarve e que deve 278 milhões de euros à Caixa Geral de Depósitos e cuja recuperação foi chumbada pelo banco público.

 

"A Quinta do Lago, SA é uma empresa e marca registada, que não possui qualquer tipo de vínculo à Birchview Imobiliária SA", ressalvou a sociedade em declarações ao Negócios. A Birchivew desenvolve um projecto imobiliário turístico na região da Quinta do Lago, em Almancil, designado por ‘The Keys’.  

 

A Quinta do Lago SA, que teme danos da sua imagem, também dá conta que "não existe nenhuma ligação" entre a própria e o Processo Especial de Revitalização (PER) da Birchview, que tem como accionista a Quintaudel. Segundo o Portal de Justiça, tanto a Birchview como a Quintaudel têm os mesmos dois sócios: Mark Lenherr e Carlos Olavo da Silva.

 

"Com 800 hectares de terreno situados em Almancil, Algarve, a Quinta do Lago é um grupo mundialmente famoso que celebra este ano 45 anos de património, cuja elevada notoriedade tem conduzido a que muitas vezes se confunda a marca/empresa com o território – uma percepção errónea e nociva para a reputação da marca", assinala a sociedade que é presidida pelo empresário irlandês Denis O' Brien, conhecido pelo império nos media. O'Brien, considerado pela Forbes como o 219.º homem mais rico do mundo, com uma fortuna avaliada em 5,9 mil milhões de dólares, é um controverso empresário que costuma ser protagonista de notícias: ou por acções judiciais que coloca ou por acusações de ter beneficiado de ajuda governamental para a compra de uma das suas empresas.

A Quinta do Lago alega nada ter que ver com a Birchview e sublinha, até, os investimentos que faz no empreendimento onde se destaca o campo de golfe, preparando um investimento de 6 milhões de euros para a construção de um parque desportivo com condições para atletas de alta competição.
  

Por sua vez, a Birchview, promotora imobiliária que desenvolve o seu projecto imobiliário naquela região de Almancil, em Loulé, pediu a entrada em PER com a sua principal credora, a CGD, que lhe tinha emprestado 278 milhões de euros, num primeiro acordo de financiamento assinado em 2007, altura da presidência de Carlos Santos Ferreira e em que Armando Vara era administrador. Vara é arguido na Operação Marquês por conta do seu mandato no banco público e alegados financiamentos ao empreendimento Vale do Lobo, como tem sido noticiado pela imprensa. O banco, que rejeitou em Janeiro essa recuperação, tem uma hipoteca sobre imóveis que, diz o Correio da Manhã, pertencem a três antigas sociedades "off-shore" apanhadas na investigação ao BPN. 

 

A Procuradoria-Geral da República, com a ajuda da Polícia Judiciária, está a investigar créditos concedidos pela CGD, num período que vem desde 2000 – aliás, o mesmo período que está sob averiguação na comissão parlamentar de inquérito.




A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Legru 09.02.2017

Pelo aqui narrado trata-se de uma autêntica quadrilha.
E depois as coincidências. Varas, Barrocas, Sócrates e seus amigos. Dá a sensação de que funcionava tudo em circuito fechado. Mas estes circuitos labirínticos levariam vários anos a serem devidamente esclarecidos.

comentários mais recentes
José Trigo 11.02.2017

A "Quinta do Lago SA" era antes denominada "Planal SA" ! Ao mudarem a denominação da empresa para o nome do empreendimento QUINTA DO LAGO, deviam ter previstoas consequências ! A Quinta do Lago é propriedade de todos os proprietários privados independentes não é propriedade da Quinta do Lago SA.

Ao 5640... 09.02.2017

A industria exportadora não paga IVa nos produtos que exporta , assim como quem importa de outros estados 8máquinas etc) não paga iva nos produtos importados. até os turistas reaveem o iva nas compras nacionais
Hoteir e turismo deviam pagar 23 % ou mais , deviam pagar a taxa de artigos de Luxo

5640533 09.02.2017

Almancil não é em Loulé, é situado no concelho de Loulé.

5640533 09.02.2017

Golf não paga 8% de IVA. Por obra e graça de Sócrates paga 23%. Os hotéis pagam 6%. O golf, como eles, é uma indústria exportadora e devia pagar 6. Já agora, porque os restaurantes pagam 13?

ver mais comentários
pub