Tecnologias Receitas da Alibaba superam estimativas e crescem 54%

Receitas da Alibaba superam estimativas e crescem 54%

A plataforma de comércio electrónico Alibaba teve receitas de 7,7 mil milhões de dólares no terceiro trimestre, findo em Dezembro. O resultado foi impulsionado pelo recorde de vendas registado no ‘Dia dos Solteiros’.
Receitas da Alibaba superam estimativas e crescem 54%
Bloomberg
Negócios 24 de janeiro de 2017 às 13:41

As receitas do grupo Alibaba cresceram 54% para 7,7 mil milhões de dólares(cerca de 7,1 mi milhões de euros) no trimestre findo a 31 de Dezembro. Um valor que supera as estimativas dos analistas consultados pela Reuters que previam proveitos totais de cerca de 7,2 mil milhões de dólares.

O recorde de vendas registado no 'Dia dos Solteiros', celebrado a 11 de Novembro, contribuiu em grande parte para os resultados. Só nesse dia, os comerciantes que integram a plataforma chinesa de comércio electrónico tiveram vendas no valor de 120,7 mil milhões de yuan (17,6 mil milhões de dólares), um aumento de 32% face a 11 de Novembro de 2015.

Analisando os proveitos por área de actividade, no comércio electrónico aumentaram 45% para 6,7 milhões de dólares, as relacionadas com "cloud" dispararam 115% para 254 milhões de dólares, as de media e entretenimento 273% para 585 milhões de dólares e as de inovação e outros serviços 61% para 122 milhões de dólares.

No total, a Alibaba reportou um lucro de 17,8 mil milhões de Yuan (2,57 mil milhões de dólares), ou de 6,94 yuan (1 dólar) por acção. Números que comparam com o resultado de 12,5 mil milhões de yuan (4,90 yuan por acção) alcançado no mesmo período do ano anterior.

Durante o trimestre em análise, a empresa de Jack Ma contou com 443 milhões de utilizadores activos, um aumento de 9% face ao mesmo período do ano anterior.

Os utilizadores da plataforma através de dispositivos mobile também cresceram em 25% para 493 milhões.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub