Tecnologias Receitas da Amazon aquém das estimativas no quarto trimestre

Receitas da Amazon aquém das estimativas no quarto trimestre

A empresa de comércio electrónico reportou vendas abaixo do esperado pelo consenso de mercado. Além disso, as suas projecções para as receitas do trimestre em curso decepcionaram os investidores. Resultado: as acções seguem em queda.
Receitas da Amazon aquém das estimativas no quarto trimestre
Bloomberg
Carla Pedro 02 de fevereiro de 2017 às 22:54

A Amazon.com registou receitas decepcionantes no quarto trimestre - que correspondeu ao período de Outubro a Dezembro de 2016 e que incluiu o período natalício, que costuma ser bom para as vendas.

 

Além disso, sublinhou que a facturação do presente trimestre poderá ficar abaixo das expectativas, o que intensificou os receios de que o aumento dos gastos em armazéns, filmes e gadgets não esteja ainda a traduzir-se num crescimento suficientemente rápido, refere a Bloomberg.

 

A tecnológica liderada por Jeff Bezos registou um volume de negócios de 43,7 mil milhões de dólares no quarto trimestre, o que representou um aumento de 22% face ao período homólogo do ano precedente – mas ficou aquém da estimativa média dos analistas auscultados pela Bloomberg, que apontava para 44,7 mil milhões (os analistas inquiridos pela Reuters esperavam uma média de 44,68 mil milhões).

 

O resultado líquido, por seu lado, ascendeu a 749 milhões de dólares (1,54 dólares por acção), quando as projecções do consenso de mercado contavam com 1,36 dólares por acção. Apesar de o lucro por acção ter superado as previsões, os números das receitas estão a pesar mais no sentimento dos investidores.

 

Para o actual trimestre, a empresa sedeada em Seattle estima que as receitas se cifrem num intervalo compreendido entre 33,3 e 35,8 mil milhões de dólares. Mas os analistas projectavam 36 mil milhões, o que também os desiludiu.

 

O mercado reagiu de imediato em baixa, com as cotações a caírem 4,43% no "after-hours" em Nova Iorque, para 802,45 dólares, depois de terem encerrado a negociação do horário regular desta quinta-feira a somar 0,91% para 839,95 dólares.

 

"Apesar de ter superado as estimativas para os lucros, a conjugação de ficar aquém nas receitas e de ter uma fraca ‘guidance’ [para o actual trimestre] foi demasiado para os investidores", comenta a US News.

 

A maior retalhista online tem dominado o comércio electrónico nos EUA com a sua subscrição Amazon Prime por 99 dólares, que inclui descontos nas entregas, streaming de música e vídeo - para desafiar sobretudo as rivais Netflix e Spotify - e armazenamento de fotos. Ainda assim, os investidores estão preocupados com "a natureza imprevisível dos gastos da Amazon", salienta a Bloomberg.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar