Comércio Receitas da Jerónimo Martins crescem 11% em 2017

Receitas da Jerónimo Martins crescem 11% em 2017

A Jerónimo Martins fechou o ano com receitas na ordem dos 16,27 mil milhões de euros, o que corresponde a um aumento de 11% face ao ano anterior, revelou a dona dos supermercados Pingo Doce e Biedronka. Os números ficaram em linha com as estimativas.
Receitas da Jerónimo Martins crescem 11% em 2017
Ricardo Castelo
Sara Antunes 11 de janeiro de 2018 às 17:31
A Jerónimo Martins fechou 2017 com um volume de negócios de 16,27 mil milhões de euros, mais 11,3% do que um ano antes, revelou a empresa em comunicado emitido para a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Estes números ficaram em linha com as estimativas do BPI que apontavam para receitas de 16,21 mil milhões de euros.

O maior contributo continua a vir da Polónia, com as receitas provenientes da Biedronka a ascenderem a 11,07 mil milhões de euros. Já as receitas geradas pelo Pingo Doce aumentaram 3,1% para 3,67 mil milhões de euros. O mercado nacional continua a ser o segundo mais relevante, mas é também o que regista crescimentos menores. 

O maior crescimento está a ser registado na Colômbia, com as receitas a aumentarem 72% para 405 milhões de euros. Ainda na Polónia, a Hebe - lojas de saúde e beleza - também se destacou no ritmo de crescimento (35,6%), ainda que seja a unidade que menos receitas gera (166 milhões).

"O foco nas vendas através do investimento no reforço do posicionamento de preço e da experiência de consumo impulsionou um forte ano de crescimento do volume de negócios e de aumento das quotas de mercado, com todas as insígnias a entrarem bem preparadas em 2018", realça a empresa liderada por Pedro Soares dos Santos (na foto) no comunicado emitido. 

A Jerónimo Martins revela assim os dados preliminares das suas vendas do ano passado. No dia 28 de Fevereiro será divulgado o relatório com os resultados de 2017.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Alfon 11.01.2018

16,27 mil milhoes, não é Dra. Sara?

Maria Santos 11.01.2018

Com tanto lucro deveria pagar melhor aos trabalhadores, melhores condições de trabalho, contratar mais pessoas e pagar melhor aos produtores. Os lucros devem ser mais repartidos.

AMANHÃ VAI AFUNDAR, 11.01.2018

Lembram-se o ano passado , quando anunciaram os lucros, a cotação nunca mais deixou de cair. acho estranho cair hoje mais de 1% , com estas noticias, normalmente há sempre fugas de informação. esperamos que não seja assim, em bolsa tudo é possível,

P.P 11.01.2018

UMA ENORME EMPRESA PORTUGUESA E TAMBEM PARA LÁ FRONTEIRAS

pub