Energia Receitas da Sonangol com exportação de petróleo com quebra de 12% em Julho

Receitas da Sonangol com exportação de petróleo com quebra de 12% em Julho

Entre Junho e Julho a petrolífera liderada por Isabel dos Santos arrecadou receitas fiscais de 68.446 milhões de kwanzas (352 milhões de euros).
Receitas da Sonangol com exportação de petróleo com quebra de 12% em Julho
Lusa 18 de agosto de 2017 às 13:41
As receitas fiscais geradas pela petrolífera angolana Sonangol caíram 12% entre Junho e Julho, para 68.446 milhões de kwanzas (352 milhões de euros), indicam dados oficiais compilados pela Lusa.

O valor arrecadado pela Sonangol, liderada pela empresária Isabel dos Santos (na foto), contrasta com o aumento do volume exportado, em Julho, face ao mês anterior, para mais de 50 milhões de barris (produção total angolana) ainda tendo em conta os relatórios mensais do Ministério das Finanças sobre receita fiscal petrolífera.

No mês anterior, de Junho, a concessionária estatal angolana do sector petrolífero tinha garantido, em receitas fiscais, cerca de 77.755 milhões de kwanzas (400 milhões de euros) e em Maio 70.362 milhões de kwanza (362 milhões de euros).

Em Julho, a Sonangol arrecadou receitas em nove das 11 concessões que constam do relatório do Ministério das Finanças.

A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), concessionária do sector petrolífero, está em processo de reestruturação, sendo liderada desde Junho de 2016 pela empresária Isabel dos Santos.

A empresa pública atingiu em Janeiro o melhor registo de receitas fiscais desde agosto de 2015, com 109.310 milhões de kwanzas (562 milhões de euros).

Globalmente, Angola exportou 50.362.253 barris de crude em Julho, a um preço médio de 45,147 dólares, pelo segundo mês consecutivo abaixo dos 46 dólares que constam da previsão inscrita no Orçamento Geral do Estado para 2017.

Angola produziu 630.113.030 barris de petróleo bruto em 2016, equivalente a uma média diária de 1.721.620 barris, o que representa uma quebra de 3% face ao total do ano anterior, justificada pela Sonangol com a paragem de produção, programada, num campo do bloco 17, durante 35 dias, com perdas estimadas de 210.000 barris por dia.

De acordo com o relatório e contas da petrolífera, apresentado em junho, o resultado líquido consolidado da Sonangol em 2016 foi de 13.282 milhões de kwanzas (68,3 milhões de euros), uma quebra de 72% face ao exercício de 2015, "como resultado de uma diminuição nos resultados financeiros e nos resultados de filiais e associadas".

Já o EBITDA consolidado (resultado operacional isento de impostos e amortizações) atingiu em 2016 os 525.266 milhões de kwanzas (2.702 milhões de euros), um crescimento de 36% em termos homólogos, ainda de acordo com a Sonangol.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub