Desporto Receitas dos clubes ingleses são quase 13 vezes maiores do que dos portugueses

Receitas dos clubes ingleses são quase 13 vezes maiores do que dos portugueses

As receitas médias de cada clube da primeira liga inglesa ascendem a 243 milhões de euros, quase 13 vezes mais do que a média de receitas de cada clube português que é de apenas 19 milhões de euros. Ganhos com direitos de transmissões televisivas da Liga Inglesa superam o total das receitas de qualquer das restantes ligas europeias.
reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images reuters, bloomberg, getty images
David Santiago 12 de julho de 2017 às 07:00

Há uma tendência que parece inexorável no futebol europeu. As cinco principais ligas de futebol europeias – Premier League (Inglaterra), Bundesliga (Alemanha), La Liga (Espanha), Serie A (Itália) e Ligue 1 (França) – estão cada vez mais ricas, e o fosso financeiro para as restantes ligas do Velho Continente é também cada vez maior.

 

Da mesma forma, é também crescente a diferença entre o poderio financeiro da primeira liga inglesa e das restantes ligas do Top 5 do continente europeu. Estas são conclusões retiradas do relatório anual da Deloitte - "Annual Review of Football Finance" – que foi divulgado esta quarta-feira, 12 de Julho, e que faz referência ao exercício financeiro da época 2015-2016.

 

Demonstrativo da capacidade financeira dos clubes ingleses é a receita média por clube da Premiere League que foi de 243 milhões de euros, bastante superior à média de receitas de 151 milhões de euros dos clubes alemães e dos 122 milhões dos clubes primodivisionários espanhóis. Na Liga Portuguesa a média de receitas é de 19 milhões de euros por clube, praticamente 13 vezes inferior à conseguida pelas equipas inglesas.

 

Globalmente, as ligas europeias obtiveram receitas de 24,6 mil milhões de euros (54% referentes ao Top 5), um aumento face aos 21,8 mil milhões conseguidos na época 2014-2015. Já as receitas relativas apenas às cinco principais ligas aumentaram em 1,4 mil milhões de euros (+12%), sendo que 59% desse aumento resultou do crescimento conseguido com as receitas provenientes dos direitos de transmissão televisiva.

 

A importância das receitas televisivas é avassaladora na Premiere League, tendo representado 53% do total de receitas dos clubes da principal liga britânica. As receitas vindas de direitos televisivos ascenderam a 2,577 mil milhões de euros, mais do que o total de receitas dos clubes da Bundesliga (2,712 mil milhões de euros) ou da La Liga (2,437 mil milhões de euros). Os clubes da primeira liga inglesa somaram um total de receitas de 4,865 mil milhões de euros, o valor mais alto de sempre.

A Deloitte explica que o progressivo aumento das receitas dos clubes que actuam nas principais ligas de futebol europeias foi potenciado, em especial, por dois factores: a subida dos direitos televisivos e o impacto do Euro 2016, realizado em França no Verão passado e que consagrou Portugal com o primeiro grande título internacional de selecções seniores.

 

O Euro 2016 teve 24 em vez das habituais 16 selecções, o que contribuiu para o aumento recorde das receitas alcançadas pela UEFA, organismo que tutela o futebol europeu. O torneio gerou receitas brutas superiores a 1,9 mil milhões de euros, um aumento superior a mais de 500 milhões de euros face ao Euro 2012 e que quase duplica as receitas conseguidas no Euro 2004, realizado em Portugal.

 

Assim, em 2015-2016 o total de receitas geradas pelas diversas ligas de futebol europeias foi de quase 25 mil milhões de euros, valor que representa um crescimento de 13% face à época de 2014-2015.

Em Janeiro a Deloitte publicou o estudo "Football Money League", relativo às receitas dos clubes europeus, elencando uma lista dos 30 clubes com maiores receitas do Velho Continente. O Benfica é o único clube português a surgir nesse Top 30 (na 27.ª posição), num ranking liderado pelo Manchester United. 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 12.07.2017

E como estamos na corrupção benfiquista dos emails ?

Camponio da beira 12.07.2017

o n. 13 recordou-me agora, uma historia antiga. Numa cooperativa agricola gerida por "artistas" havia 13 funcionarios (com horario e atitude de nf.publico), Facturavan 200 mil contos ano. Num particular,a vender os mesmos produtos, na mesma cidade 5 pessoas fact. 500.000 contos.

pub