Tecnologias Receitas e lucros da Microsoft superam estimativas

Receitas e lucros da Microsoft superam estimativas

A Microsoft reportou um lucro por acção de 96 cêntimos, no seu segundo trimestre fiscal, quando a estimativa apontava para 86 cêntimos. Também o volume de negócios foi superior ao esperado, o que está a animar a negociação das acções no "after-hours" da bolsa norte-americana.
Receitas e lucros da Microsoft superam estimativas
Microsoft
Carla Pedro 01 de fevereiro de 2018 às 00:52

A tecnológica norte-americana Microsoft, liderada por Satya Nadella desde 2014, reportou esta noite os seus resultados do segundo trimestre fiscal, terminado a 31 de Dezembro, com os lucros a estabelecerem-se em 7,5 mil milhões de dólares.

 

O lucro por acção foi de 96 cêntimos, acima da estimativa média de 86 cêntimos apontada pelos analistas inquiritos pela Bloomberg e pela Thomson Reuters.

 

O crescimento do resultado líquido da tecnológica continuou a ser impulsionado sobretudo pelo aumento da procura e elevado desempenho do seu segmento da "cloud" (armazenamento de dados na nuvem, através da Azure – cuja facturação aumentou 98%), no qual a empresa tem vindo a apostar.

 

Já o resultado líquido com as provisões para impostos no valor de 13,8 mil milhões de dólares [a título dos impostos que a empresa terá de pagar para repatriar capitais que tem fora dos EUA, no âmbito da reforma fiscal da Administração Trump aprovada em Dezembro] foi negativo em 6,3 mil milhões de dólares (82 cêntimos por acção).

  

As receitas, por seu turno, aumentaram 12%, para 28,92 mil milhões de dólares, ficando também acima da estimativa média do mercado, que era de 28,39 mil milhões.

 

O mercado está a mostrar-se satisfeito com os números divulgados, com as acções da Microsoft a somarem 0,15% para 95,15 dólares na negociação fora de horas da bolsa nova-iorquina – depois de terem encerrado a sessão regular a ganhar 2,45% para 95,01 dólares. O máximo histórico da tecnológica está nos 95,45 dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub