Tecnologias Receitas e lucros da Yahoo superam estimativas no quarto trimestre

Receitas e lucros da Yahoo superam estimativas no quarto trimestre

A tecnológica norte-americana liderada por Marissa Mayer registou um volume de negócios e um resultado líquido nos últimos três meses de 2016 acima das expectativas do mercado. A conclusão da venda das operações da web à Verizon passa para o segundo trimestre.
Receitas e lucros da Yahoo superam estimativas no quarto trimestre
Bloomberg
Carla Pedro 23 de janeiro de 2017 às 23:13

As vendas da Yahoo  excluindo as receitas partilhadas com outros websites parceiros (ou seja, o custo com a aquisição de tráfego) ascenderam a 960 milhões de dólares no quarto trimestre de 2016, segundo as contas apresentadas pela empresa após o fecho das bolsas.

Este valor correspondeu a uma queda face aos mil milhões atingidos no período homólogo de 2015. No entanto, superou as estimativas dos analistas inquiridos pela Bloomberg, que apontavam para uma receita média de 907,9 milhões.

 

Por seu lado, o volume de negócios incluindo as receitas partilhadas aumentou 15,4%, para 1,47 mil milhões de dólares, contra 1,27 mil milhões um ano antes. Os analistas questionados pela Thomson/Reuters apontavam para 1,38 mil milhões, pelo que este resultado superou o consenso de mercado.

 

Já o resultado líquido foi de 162 milhões, ou 17 cêntimos por acção, quando no período homólogo do ano anterior a tecnológica tinha reportado prejuízos de 4,43 mil milhões de dólares (4,70 dólares de perdas por acção). No quarto trimestre de 2015, recorde-se, os resultados da Yahoo incluíram uma amortização de 4,46 mil milhões de dólares para contabilizar a desvalorização de algumas das suas unidades.

 

Quanto ao lucro por acção sem itens extraordinários, atingiu entre Outubro e Dezembro do ano passado 25 cêntimos de dólar - quando o valor médio projectado pelos analistas era de 21 cêntimos.

 

A CEO, Marissa Mayer (na foto), anunciou ainda que a conclusão da venda das principais operações web da Yahoo [que tem sido um negócio "core" da empresa e que inclui o serviço de email, motor de busca e portal de notícias] à Verizon Communications, que deveria ficar concluída este trimestre, foi adiada para o segundo trimestre, por haver ainda pormenores a serem ultimados.

 

No passado dia 10, Mayer anunciou que vai renunciar ao cargo de CEO após a conclusão desta venda à operadora Verizon. Além de Mayer, mais cinco directores deixarão a empresa, incluindo o co-fundador David Filo.

Depois da operação, a nova empresa, que ficará com os activos que não serão vendidos à Verizon - como as participações na Alibaba e na Yahoo Japan, avaliadas em 40 mil milhões de dólares – mudará de nome para Altaba e irá reduzir o conselho de administração a cinco membros.

 

O mercado está a reagir com agrado aos números divulgados, sem acusar negativismo em relação ao adiamento da operação de compra da Verizon. As acções da Yahoo seguem a subir 2% na negociação fora de horas da bolsa nova-iorquina, para 43,17 dólares, depois de terem encerrado a sessão regular desta segunda-feira a ganhar 0,83% para 42,40 dólares. 


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub