Tecnologias Reditus reduz lucros no primeiro trimestre

Reditus reduz lucros no primeiro trimestre

Entre Janeiro e Março de 2017, a Reditus registou lucros de 109.356 euros, contra um resultado líquido positivo de 197.207 euros um ano antes.
Reditus reduz lucros no primeiro trimestre
Miguel Baltazar/Negócios
Carla Pedro 31 de maio de 2017 às 20:02

A Reditus reduziu para 109.356 euros os lucros dos primeiros três meses do ano, depois de no período homólogo de 2016 ter reportado um ganho de 197.207 euros.
 

No entanto, relativamente ao último trimestre de 2016, registou-se uma melhoria. Com efeito, em 2016 a empresa passou de lucros a perdas à conta dos prejuízos entre Outubro de Dezembro. Agora, três meses depois, regressou aos ganhos.

 

Os proveitos operacionais, no período em análise, foram de 10,2 milhões de euros, o que representou uma queda de 15,3% face ao primeiro trimestre do ano passado.

Nestes três primeiros meses do ano "verificou-se uma contracção dos valores de proveitos em relação ao período homólogo, principalmente no segmento BPO [Business Process Outsourcing] da área de Client Services, reflexo do término contratual de dois contratos de grande dimensão que existiam no ano anterior e que o grupo ainda não conseguiu substituir por outros de equivalente valor, devido a um mercado bastante agressivo e concorrencial", justifica a empresa no seu relatório e contas divulgado na CMVM.

No entanto, acrescenta, "no primeiro trimestre de 2017 a Reditus conseguiu angariar novos negócios na sua carteira de clientes e renovar contratos existentes no mercado nacional, nos segmentos de IT Consulting e IT Outsourcing".

 

Na área internacional, os proveitos entre Janeiro e Março, apesar de um decréscimo de 2% face ao período homólogo de 2016, aumentaram o seu peso relativamente aos proveitos globais do grupo, de 32% para 37%.

 

Por seu lado, o EBITDA (resultado antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) ascendeu a 1,3 milhões de euros, contra dois milhões um ano antes, sendo assim equivalente a uma margem EBITDA de 12,7% - menos 3,5 pontos percentuais face aos 16,2% do primeiro trimestre de 2016.

Para os próximos meses de 2017, a Reditus diz esperar um crescimento positivo no mercado doméstico e arrancar com vários projectos no mercado internacional, sendo que activamente continuará à procura de oportunidades em projectos de nearshore [terceirização de negócios e projectos].

 

A empresa que opera na área tecnológica e que tem Pais do Amaral (na foto) como "chairman" e como seu principal accionista (25,6%; seguido do BCP, com 19,5%), encerrou a sessão desta terça-feira inalterada nos 24 cêntimos por acção.

 

A Reditus, recorde-se, alienou no passado dia 4 de Novembro a sua participada Roff - Consultores Independentes à empresa francesa GFI.  




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub