Analistas
Reforço de Isabel dos Santos na Zon através dos minoritários é "novidade"
31 Maio 2012, 10:30 por Raquel Godinho | rgodinho@negocios.pt
8
Enviar por email
Reportar erro
0
A empresária angolana poderá aumentar a sua posição na dona da TV Cabo para 25%, algo que tem vindo a ser noticiado pela imprensa.
Isabel dos Santos vai nos próximos dias reforçar a sua posição accionista na companhia liderada por Rodrigo Costa. A empresária detém, actualmente, 15% da operadora de telecomunicações e pretende controlar entre 20% e 25%, segundo o “Diário Económico”.

Este jornal cita uma fonte oficial da empresária angolana afirmando que "Isabel dos Santos está determinada em ter uma voz activa e central na dinâmica futura da Zon". O reforço da posição será feito através de negociação com diversos pequenos accionistas da companhia, pelo que não contemplam as posições detidas pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) e pelo Banco Espírito Santo (BES).

Estes bancos estão vendedores das posições e, em conjunto, têm 21,73% do capital da Zon Multimédia.

Para Pedro Pinto Oliveira e João Urbano, analistas do BPI, esta notícia tem um impacto “neutral” para a companhia, uma vez que as notícias de que Isabel dos Santos pretende aumentar a sua posição na Zon “não são uma novidade”.

Contudo, “esta é a primeira vez que, outras para além das duas posições detidas pela CGD e BES, participações minoritárias são adicionadas à lista de potenciais vendedores”.

O banco de investimento sublinha ainda que a relutância em vender poderá ser baixa, pois vê como preço de referência os 2,34 euros por acção pagos pela Telefónica no mês passado. Os analistas atribuem uma recomendação de “manter” e um preço-alvo de 2,75 euros.

“Adicionalmente, e apesar das recentes notícias que apontam para que Isabel dos Santos aspira a um caminho internacional para a companhia, ainda vemos uma forte probabilidade de que a fusão entre a Zon e a Sonaecom se venha a materializar no curto prazo”, refere o BPI, que detém 8% da Zon.

Já Nuno Matias, analista do Espírito Santo Investment Bank (BESI), realça que esta notícia não foi confirmada, mas “não seria uma surpresa”.

“O único aspecto que pode ser considerado novo aqui é a possibilidade de que tal movimento [reforço de Isabel dos Santos] possa concretizar-se através da aquisição de posições mais pequenas de outros accionistas, em vez de uma aquisição directa das posições detidas pelas instituições financeiras, nomeadamente os 10% da CGD, que já anunciou a intenção de vender a sua participação”, adianta o BESI.

Os mesmos especialistas acrescentam que estas notícias sugerem a intenção da empresária “aumentar o seu poder na empresa e assumir o papel de accionista controlador do grupo”, o que lhe vai conferir uma “forte influência” nas decisões estratégicas da Zon, nomeadamente no que se refere a internacionalização ou consolidação.

O BESI recomenda “comprar” acções da dona da TV Cabo, para as quais apresenta um preço-alvo de 3,50 euros.

A Zon Multimédia avança 2,49% para os 2,096 euros, depois de ter chegado já a subir 3,91%.
8
Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags: