Energia Regulação: Gás de botija vai sair da esfera da ENMC e passar para a ERSE

Regulação: Gás de botija vai sair da esfera da ENMC e passar para a ERSE

O sector do gás de petróleo liquefeito (GPL) em todas as suas categorias, como engarrafado, canalizado e a granel, vai ficar sujeito à regulação da ERSE.
Regulação: Gás de botija vai sair da esfera da ENMC e passar para a ERSE
Miguel Baltazar/Negócios
André Cabrita-Mendes 14 de Outubro de 2016 às 14:41
Vai haver mudanças na regulação do sector energético em Portugal no próximo ano. O gás petróleo liquefeito (GPL) vai sair da esfera da Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC) liderada por Paulo Carmona.

Desta forma, de acordo com a proposta de Orçamento do Estado a que o Negócios teve acesso, o sector do gás de petróleo liquefeito (GPL) em todas as suas categorias, nomeadamente engarrafado, canalizado e a granel, fica sujeito à regulação da ERSE, presidida por Vítor Santos (na foto), que vai ganhar assim novas competências.

A ERSE vai ter de apresentar durante o próximo mês de Janeiro um "projecto de alteração dos respectivos estatutos que integre esta nova atribuição de regulação".

Depois, os estatutos da ERSE e a restante legislação relativa ao sector do gás de petróleo liquefeito "devem ser adaptados a esta nova atribuição de regulação, no prazo de 90 dias após a entrada em vigor da presente lei", isto é, até final de Março de 2017.

A ENMC fica a regular o sector dos combustíveis em Portugal, com a ERSE a ficar com a electricidade, gás natural, gás de petróleo liquefeito.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub