Banca & Finanças Reguladores australianos apontam o dedo aos maiores bancos do país por erros de conduta

Reguladores australianos apontam o dedo aos maiores bancos do país por erros de conduta

O regulador do sector financeiro da Austrália colocou em causa a integridade dos principais bancos australianos, considerando que arriscam perder a confiança dos clientes perante as alegações inéditas de lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo.
Reguladores australianos apontam o dedo aos maiores bancos do país por erros de conduta
Reuters
Negócios com Reuters 11 de agosto de 2017 às 09:09

Dois dos principais reguladores do sector financeiro da Austrália criticaram esta sexta-feira, 11 de Agosto, a conduta de gestão dos banqueiros das principais instituições financeiras do país, isto numa altura em que existem alegações de inéditas sobre lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo que implicam os maiores bancos australianos.

 

O escândalo em causa envolve os "Grandes Quatro", nome dado aos quatro maiores bancos do país, incluindo o banco central australiano (Commonwealth Bank of Australia, CBA) que é acusado de ter permitido a lavagem de dinheiro em montantes de milhões de dólares.

 

A este respeito, o CBA, que é o maior credor hipotecário australiano, responsabiliza um erro de software e promete defender-se em tribunal das alegações. Contudo, o panorama para o banco central piorou esta sexta-feira depois de duas entidades reguladoras terem expressado preocupações em relação à gestão da instituição e terem anunciado a abertura de uma investigação separada aos gestores do banco.

"Esta é a maior instituição do país e considero que os australianos esperavam melhor", disse Greg Medcraft, presidente da Australian Securities and Investment Commission (ASIC).

 

Já Philip Lowe, governador da Reserva Federal da Austrália, em declarações feitas num comité de economia do Parlamento australiano, salienta que se trata de alegações "muito sérias" e assegura que "alguém terá de ser responsabilizado".

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub