Banca & Finanças Relatório da CGD aprovado admite dúvidas sobre acordo entre Centeno e Domingues

Relatório da CGD aprovado admite dúvidas sobre acordo entre Centeno e Domingues

Os deputados do PS, BE e PCP aprovaram o relatório final da comissão de inquérito. Já o CDS absteve-se. O PSD optou por votar contra o documento elaborado pelo socialista Carlos Testa.
Relatório da CGD aprovado admite dúvidas sobre acordo entre Centeno e Domingues
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 25 de outubro de 2017 às 18:19
O relatório da segunda comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos foi esta quarta-feira, 23 de Outubro, aprovado com sete votos contra, dos deputados do PSD, uma abstenção, do CDS-PP, e nove votos favoráveis, do PS, do PCP e do BE.

Um dos pontos centrais desta comissão de inquérito, pedida potestativamente (de forma obrigatória) por PSD e CDS-PP, passava por apurar se era "verdade ou não que o ministro [das Finanças] negociou a dispensa da apresentação da declaração de rendimentos [de António Domingues]", o que foi sempre negado pelo Governo.

De acordo com a versão final do relatório, "das audições não foi possível concluir se em momento algum houve qualquer acordo para a alteração do Regime Jurídico do Controle Público da Riqueza dos Titulares de Cargos Políticos, uma vez que os testemunhos foram discordantes", admitindo terem existido referências sobre essa matéria.

"O que é possível admitir é que possa ter sido suscitado o convencimento de que a alteração do Estatuto do Gestor Público, nos termos em que foi feita, poderia exonerar das restantes obrigações os Gestores Públicos em causa, o que, como se veio a demonstrar, não exonera", defende o relatório final.

A versão final do relatório, da autoria do deputado socialista Luís Testa, incorporou, quase na íntegra, as propostas de alteração de BE e do CDS-PP. As do PSD, que pretendiam substituir as da esquerda, foram rejeitadas.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 3 semanas

E pagamos nós esta gentalha....

CANALHA*S HIPOCRITAS SEM VERGONHA!

pub