Energia REN sofre maior queda em seis meses após anunciar preço do aumento de capital

REN sofre maior queda em seis meses após anunciar preço do aumento de capital

As acções da REN fecharam o dia a cair mais de 3% após a companhia ter revelado que o aumento de capital vai ser efectuado com um desconto de 29%.  
REN sofre maior queda em seis meses após anunciar preço do aumento de capital
Bruno Simão/Negócios
Nuno Carregueiro 13 de novembro de 2017 às 16:51

As acções da REN reagiram em baixa ao anúncio do preço de subscrição das novas acções no aumento de capital, registando uma queda de 3,01% para 2,58 euros, o que corresponde ao valor mais reduzido desde Fevereiro.

 

Trata-se da descida mais acentuada desde 29 de Maio, quando os títulos caíram 5,53% por estarem a descontar o dividendo.

 

A cotada liderada por Rodrigo Costa anunciou esta manhã, no arranque da sessão, que o aumento de capital de 250 milhões de euros será efectuado ao preço de subscrição de 1,877 euros por acção, o que representa um desconto de 29% face à cotação de fecho de sexta-feira.

 

O aumento de capital de 250 milhões de euros já era conhecido, sendo que o encaixe servirá para financiar a compra da Portgas.


A oferta estará reservada a accionistas e "aos investidores que comprarem direitos de subscrição", explica  a empresa em comunicado enviado para a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). 

 

Ainda não são conhecidas as datas da operação, sendo que "é intenção da REN dar início a esta oferta no mais breve prazo possível, após aprovação do respectivo prospecto pela CMVM e a publicação deste e do aviso para o exercício de direitos de subscrição, nos termos legais".

 

No comunicado desta manhã ao mercado, a REN refere que os seus principais accionistas, que representam cerca de 30% do capital da empresa, já deram indicações de que vão exercer os direitos. E também que efectuou um contrato de "underwriting" com o Banco Santander, a CaixaBI e o JPMorgan.

 

Em Abril, a REN anunciou que ia adquirir a actividade de distribuição de gás natural da EDP, uma operação que avalia a EDP Gás em mais de 500 milhões de euros. Para financiar a operação, o conselho de administração da REN "aprovou" o recurso a linhas de crédito e um "aumento de capital social da REN por novas entradas em dinheiro, sujeito à aprovação dos órgãos sociais competentes da REN", explicou então a empresa liderada por Rodrigo Costa.

 

A queda desta segunda-feira elevou para 4,19% a desvalorização acumulada em 2017. A empresa liderada por Rodrigo Costa apresenta agora uma capitalização bolsista de 1.380 milhões de euros.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
A REN vai levar um trambolhão! Há 1 semana

REN ainda vai sofrer quedas maiores! Então vai ao bolso aos accionistas e as acções não tem queda!? Ajustam o valor depois do aumento de capital, e os accionistas levam nas nalgas! A REN aprendeu com as banquetas falidas a fazer aumentos de capital! Nas banquetas os accionistas ficavam mais lisos!

o GRANDE OLHARAC : o guru do BCP Há 1 semana


150 milhões de lucros em portugal + 135 milhões de lucro no MILENIUM POLACO = 285 MILHÕES de EUROS que corespodem a um edita ACTUAL ( atual não é para o ano ) POR AÇÂO de 0.39 ora de 0.25 até 0.39 é só fazerem as CONTAS

pub