Energia REN termina aumento de capital com procura 65,6% acima da oferta

REN termina aumento de capital com procura 65,6% acima da oferta

Tendo em conta os números hoje revelados pela REN, os detentores de cerca de 26 milhões de direitos acabaram por não os exercer, perdendo o seu valor.
REN termina aumento de capital com procura 65,6% acima da oferta
Miguel Baltazar
Paulo Zacarias Gomes 07 de dezembro de 2017 às 17:43
A REN anunciou esta quinta-feira, 7 de Dezembro, a conclusão do seu aumento de capital de 250 milhões de euros, com o qual procurou financiar metade do valor aplicado na compra da Portgas.  

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a energética refere que a procura neste processo se cifrou em 165,6%, ou seja 65,6% acima da oferta.

As 133.191.262 acções emitidas ao abrigo da operação foram assim totalmente subscritas, a um preço unitário de 1,877 euros (ágio de 0,877 euros a acrescer ao valor nominal de um euro por cada acção nova).

Cerca de 95,1% do total das novas acções (126.731.246) foram subscritas através do exercício de direitos de subscrição. As restantes novas acções (6.460.016, correspondentes a 4,9%) ficaram disponíveis para rateio, tendo a procura sobre estes papéis sido 14,5 vezes superior à quantidade disponível.

Os accionistas receberam 530 milhões de direitos no âmbito do aumento de capital, que permitiam subscrever os cerca de 133,2 milhões das novas acções em causa neste reforço. Tendo em conta os números hoje revelados pela REN, os detentores de cerca de 26 milhões de direitos acabaram por não os exercer, perdendo o seu valor.

O êxito da operação estava garantido desde o seu arranque pela tomada firme dos 250 milhões de euros por um grupo de bancos e depois de se saber que três dos principais accionistas (State Grid, Red Eléctrica e Fidelidade, com participações conjuntas de 35%) acompanhariam o reforço. 

Com a conclusão desta operação, o capital social da REN passa de 534 milhões de euros para 667.191.262 euros.

As acções da empresa presidida por Rodrigo Costa fecharam a sessão a cair 0,32% para 2,499 euros.

(Notícia actualizada às 18:11 com mais informação)



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Há 1 semana

Só pode ser uma notícia para os apanhados.
Aguardamos com ansiedade o comentário de Marque Mendes.

Saber mais e Alertas
pub