Automóvel Renault vai investir 100 milhões e criar 150 postos de trabalho em Cacia

Renault vai investir 100 milhões e criar 150 postos de trabalho em Cacia

A fábrica portuguesa da Renault vai começar a produzir uma nova geração de caixas de velocidades que vão equipar vários modelos da Renault.
Renault vai investir 100 milhões e criar 150 postos de trabalho em Cacia
Egídio Santos
André Cabrita-Mendes 17 de Novembro de 2016 às 17:29
A fábrica da Renault em Cacia vai prolongar a sua vida útil com um novo investimento que vai contribuir para aumentar as exportações de Portugal. A marca francesa vai investir 100 milhões de euros nos próximos anos na fábrica do distrito de Aveiro.

O objectivo é arrancar com a produção de uma nova geração de caixa de velocidades que vai servir para equipar vários modelos da Renault. Toda a produção vai ser exportada para fábricas da marca francesa nos quatro cantos do mundo.

O investimento vai ser anunciado na sexta-feira, 18 de Novembro, na Renault em Cacia, numa cerimónia que vai contar com a presença do primeiro-ministro António Costa.

"A modernização da fábrica assegura o futuro da laboração em Cacia por muito anos", disse ao Negócios fonte do gabinete do primeiro-ministro.

Os 100 milhões de investimento para reforçar a produção vão permitir manter os quase 1.200 postos de trabalho e criar mais 150 empregos. 

A Renault Cacia teve um volume de negócios de 280 milhões de euros em 2015, sendo que 100% da produção destina-se à exportação.

No ano passado, foram produzidas quase 600 mil caixas de velocidades, e 1,4 milhões de bombas de óleo e exportadas para fábricas da Renault e da Nissan em Espanha, França, Roménia, Turquia, Eslovénia, Brasil, Chile, Marrocos, Africa do Sul, Irão e Índia.

A deslocação do primeiro-ministro a Cacia marca o arranque da "Agenda Mais Crescimento", para promover uma maior proximidade entre o Governo e as empresas em Portugal.

Esta iniciativa prevê que o primeiro-ministro visite uma vez por semana empresas que se destaquem pela sua "capacidade exportadora, tecnologia, inovação, empreendedorismo, modernização", explicou fonte do gabinete de António Costa.



A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas


PS ROUBA OS TRABALHADORES DO PRIVADO

Lá vem mais dinheiro para a malta dos direitos adquiridos...

E mais impostos para os outros portugueses.

Viver à custa dos outros é muito bom.

Mas para quem paga... não tem piada nenhuma.

comentários mais recentes
Indiano Há 2 semanas

Oxalá a esquerdalha aqui tenha razão! Oxalá a geringonça se safa e cumpra as metas a que se compremeteu, mesmo com a austeridade que está a aplicar que prometeu não aplicar. Oxalá o resultado não seja o mesmo de sempre. O país falido.

"Nao ha investimento"...dizem os pafiosos! Há 2 semanas

A continuar assim com cada vez mais empresas a exportarem como nunca e outras a renovar a linha de produtos a oferecer,mesmo quando mercados como Angola,Brasil etc estao em baixo, o que e' que vao agora dizer os pafiosos do chefe Cuelho ou os do "taxi"?

Anónimo Há 2 semanas

Anónimo mais votado e que tal ir mamar na quinta pata do cavalo do D. José ?

Luis Há 2 semanas

Mais uma noticia que vai azedar os já muito azedos Pafiosos. O do penduricalho na lapela vai ficar ainda mais careca e com as fuças mais enrugadas.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub