Energia Renováveis ajudam Portugal a bater recorde de exportação de electricidade

Renováveis ajudam Portugal a bater recorde de exportação de electricidade

A produção hídrica e eólica foram as maiores contribuidoras para a produção de electricidade em Portugal em Fevereiro, no que foi o segundo melhor mês deste século para as renováveis.
Renováveis ajudam Portugal a bater recorde de exportação de electricidade
André Cabrita-Mendes 09 de março de 2016 às 16:35
Nunca Portugal vendeu tanta electricidade ao exterior como em Fevereiro. As exportações eléctricas bateram novo recorde pelo segundo mês consecutivo com o contributo da chuva e do vento.

Em Fevereiro foi assim registado um novo recorde de exportação de energia eléctrica (1.081 gigawatts hora (GWh)), o equivalente a cerca de 20% da produção nacional de electricidade.

Os dados foram avançados esta quarta-feira, 9 de Março, pela Associação Portuguesa de Energias Renováveis (APREN).

O aumento das vendas de electricidade ao exterior "devem-se principalmente a condições atmosféricas favoráveis à produção de electricidade de origem hídrica e eólica", diz a APREN.

Isto quer dizer que em Fevereiro choveu mais e o vento também soprou mais. A produção hídrica teve a maior contribuição para a produção de electricidade (42%), seguida da eólica (27%).

A APREN sublinha que em Fevereiro deste ano, tal como em Fevereiro de 2014, quando a "produção hidroeléctrica foi elevada, a exportação também aumentou".

Do total de produção de electricidade em Portugal, a energia renovável contribuiu com 74% da produção total, seguindo-se a produção térmica fóssil, carvão e gás, com 26%.

É também de destacar que a produção de energia renovável cobriu 95% do consumo de energia eléctrica em Portugal. Este valor mensal (4.350 GHw) foi o segundo maior do século.

O recorde foi atingido em Fevereiro de 2014, quando as renováveis cobriram 97% do consumo de electricidade em Portugal continental.

A produção total de electricidade em Fevereiro atingiu o maior valor dos últimos três anos e foi 17% superior ao ano anterior.  O ano de 2015 foi "hidrologicamente seco", pelo que em Fevereiro do ano passado a energia hídrica tinha pesado 32%, o que acabou por ter "reflexos negativos no nível de importação que foi maior" face a este ano.

Na sua análise, a APREN sublinha que em Fevereiro, tal como em Janeiro, o preço médio no mercado ibérico de electricidade foi de 27,35 euros por megawatt hora.

Este valor "relativamente baixo" evidencia a "influência directa da electricidade renovável na redução dos preços do mercado, graças à sua expressiva representatividade, que ascendeu a 95% do consumo".



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado LVV Há 2 semanas

Seria bom era baixar o preço da electricidade para as empresas e famílias e assim contribuir para o crescimento da economia. Ganhavam mais empresas assim do que só a EDP e a EDP Renováveis.
Fica a dica

comentários mais recentes
ACPO 19.04.2016

Não se aproveita este fantástico excedente de energias renováveis para obrigar os produtores a pagar o défice tarifário e acaber com essa aberração.

EMIGREM, caraças! Há 2 semanas

E em que é o Coelho (Pum!... pum!,,) e a caranguejola Paf contribuiu para isso? Aliás, diga-se o mesmo em relação à exportação de refinados de petróleo: contribuiu ZERO! Pior, vendeu a EDP aos comunistas chineses. Resta só a imensa prosápia palradora quer do Passos quer do feirinhas Portas.

E a culpa e' do.. Há 2 semanas

E' evidente q o preco da energia eletrica e' comparativamente cara dado os baixos (deviam subir...) salarios da maioria. Pralem disso,e uma vez q o Socrates ja nao pode ser culpado, verdade seja dita, a eletricidade nao e' so vendida pla EDP.. o mercado foi liberalisadao

Anónimo Há 2 semanas


será que o preço de exportação é o mesmo que nos esfolam cá dentro?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub