Comércio Rentabilidade da dona da Zara em mínimos de oito anos

Rentabilidade da dona da Zara em mínimos de oito anos

O grupo Inditex obteve um resultado líquido de 1,37 mil milhões de euros no primeiro semestre do ano. Ainda assim, a forte valorização do euro penalizou as contas da empresa fundada por Amancio Ortega, com a rentabilidade a atingir mínimos de oito anos.
Rentabilidade da dona da Zara em mínimos de oito anos
Bloomberg
Ana Laranjeiro 20 de setembro de 2017 às 10:12

O grupo Inditex, dona de marcas como Zara e Massimo Dutti, teve um resultado líquido de 1,37 mil milhões de euros no primeiro semestre fiscal que, neste caso, começou a 1 de Fevereiro e terminou a 31 de Julho. Este valor representa um crescimento de 9% face ao período homólogo do ano anterior, de acordo com o comunicado da empresa.

As receitas ascenderam a 11,67 mil milhões de euros, o que reflecte um crescimento de 11,5% face ao mesmo período do ano passado. As vendas comparáveis (que não incluem a abertura de novas lojas) subiram 6%.


O EBITDA (lucros antes de impostos, amortizações e depreciações) da empresa ascendeu a 2,29 mil milhões de euros, mais 9% que no primeiro semestre fiscal da empresa, no ano passado.


Apesar destes números, a rentabilidade do grupo espanhol fundado por Amancio Ortega, uma das pessoas mais ricas do mundo, está em mínimos de oito anos devido à valorização do euro, que retira valor às vendas que são feitas fora do mercado da moeda única, refere a Bloomberg.


Desde o início do ano, o euro ganha mais de 14%. A margem bruta do grupo Inditex encolheu para 56,4%. Anne Critchlow, analistas do Société Générale, disse à Bloomberg que "se o euro continuar forte, pode haver uma pressão constante da margem bruta".


De acordo com o comunicado do grupo, actualmente liderado por Pablo Isla, as marcas que integram o grupo estão presentes em 94 mercados. De Fevereiro a Julho, as marcas deste grupo abriram lojas em 35 mercados, contabilizando um total as 7.405 lojas. E durante os últimos 12 meses, o grupo criou 11 mil novos postos de trabalho, quase três mil dos quais em Espanha.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub