Telecomunicações Resultados da Ericsson voltam a ficar aquém do esperado

Resultados da Ericsson voltam a ficar aquém do esperado

A fabricante sueca viu as suas vendas descerem quase 8% nos três meses terminados em Julho. Os resultados vão levar o CEO a acelerar o corte de custos na empresa.
Resultados da Ericsson voltam a ficar aquém do esperado
Rita Faria 18 de julho de 2017 às 07:52

Os resultados da Ericsson relativos ao segundo trimestre deste ano foram inferiores ao esperado pelos analistas, colocando em destaque os desafios enfrentados pelo CEO Borje Ekholm, que assumiu o cargo há seis meses com o objectivo de reanimar o negócio da fabricante sueca de equipamentos de telecomunicações.

Segundo os dados revelados pela empresa esta terça-feira, 18 de Junho, nos três meses terminados em Julho, as receitas caíram 7,8% para 49,9 mil milhões de coroas suecas (cerca de 5,2 mil milhões de euros), quando os analistas apontavam, em média, para 50,7 mil milhões.

Já o resultado operacional ajustado de 300 milhões de coroas (31,4 milhões de euros) ficou aquém das estimativas de 1,7 mil milhões.  

"Não estamos satisfeitos com o nosso desempenho, com o declínio constante das vendas e o aumento das perdas", afirmou Ekholm, em comunicado citado pela Bloomberg. "À luz das actuais condições de mercado, estamos a acelerar as acções planeadas para reduzir custos".

A fabricante sueca tem enfrentado sérias dificuldades perante a desaceleração dos gastos das operadoras móveis e a concorrência de empresas como a chinesa Huawei Technologies e a finlandesa Nokia.

A empresa já anunciou que vai acelerar os cortes de custos para alcançar uma meta de 10 mil milhões de coroas por ano até 2018. Ekholm também informou que a Ericsson irá cancelar mais de mil milhões de dólares em contratos de serviços não lucrativos.

Em Outubro do ano passado, a Ericsson anunciou prejuízos de 233 milhões de coroas suecas no terceiro trimestre, tendo sido a primeira vez em quase quatro anos que a fabricante apresentou contas negativas. Dias depois da divulgação das contas, Borje Ekholm foi nomeado CEO e 'chairman' da empresa, em substituição do então CFO Jan Frykhammar que, desde Julho, ocupava a posição de presidente executivo, depois da saída de Hans Vestberg.

Na sessão de ontem, as acções da Ericsson desceram 2,17% para 60,95 coroas suecas. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar