Indústria Resultados de 2016 levam acções da Siemens para máximo de 16 anos

Resultados de 2016 levam acções da Siemens para máximo de 16 anos

A empresa de engenharia alemã reviu em alta as suas perspectivas de lucro para este ano fiscal. O mercado reagiu, com as acções da empresa a subirem 4,65%.
Resultados de 2016 levam acções da Siemens para máximo de 16 anos
Bloomberg
Negócios 01 de fevereiro de 2017 às 11:23

As acções da Siemens atingiram um novo máximo histórico esta quarta-feira, 1 de Fevereiro, depois de a empresa alemã ter revisto em alta as suas perspectivas para o ano fiscal.

Pelas onze da manhã, as acções estavam a crescer 4,65% para 121,65 euros, tendo chegado a tocar nos 122,0 euros, o que corresponde ao valor mais elevado desde Setembro de 2000. A capitalização bolsista da Siemens é de quase 103,5 mil milhões de euros.


Os resultados do primeiro trimestre ficaram acima do esperado, com os lucros do negócio industrial a subirem 26% para os 2,51 mil milhões de euros. Os analistas consultados pela Bloomberg estimavam que o negócio industrial registasse lucros de 2,08 mil milhões de euros.

Já o resultado líquido da empresa alemã aumentou 25% para 1,94 mil milhões de euros.


Os projectos de energia renovável e os serviços digitais são apontados como os principais motivos para o cenário positivo no primeiro trimestre, mesmo depois de a empresa alemã de engenharia ter admitido uma diminuição no número de encomendas.

Estes números, apresentados esta quarta-feira, levaram a empresa a rever em alta as previsões para o acumulado do ano. A previsão é de que a margem de lucro do negócio industrial seja agora de 11 a 12%, acima dos 10,5 a 11,5% esperados até agora. Já os lucros por acção deverão situar-se entre 7,20 e 7,70 euros, escreve a agência Bloomberg. A previsão anterior era de um intervalo entre 6,80 e 7,20 euros.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub