Banca & Finanças Resultados do Commerzbank, Société Générale e UniCredit melhores que o esperado

Resultados do Commerzbank, Société Générale e UniCredit melhores que o esperado

Numa altura em que prossegue a apresentação de resultados na Europa, três grandes bancos do Continente revelaram as suas contas do último trimestre.
Resultados do Commerzbank, Société Générale e UniCredit melhores que o esperado
Reuters
Ana Laranjeiro 08 de fevereiro de 2018 às 09:14

Três dos grandes bancos europeus revelaram as suas contas do ano passado nesta manhã 8 de Fevereiro. O germânico Commerzabank obteve em 2017 um resultado líquido de 156 milhões de euros, o que reflecte uma quebra acentuada face a 2016, altura em que os lucros do banco foram de 279 milhões de euros, de acordo com a informação presente no site da instituição. O resultado operacional da instituição alemã em 2017 ascendeu a 1.303 milhões de euros, tendo ficado assim abaixo do ano anterior (2016: 1.399 milhões de euros). Contudo, se itens extraordinários e efeitos de avaliação forem excluídos, o resultado operacional aumentou face a 2016, nota o banco.

No quarto trimestre do ano passado, a instituição financeira alemã teve um resultado líquido de 90 milhões de euros, uma queda em torno de 50% face aos 182 milhões de euros obtidos nos últimos três meses de 2016. Ainda assim, e de acordo com a Reuters, os lucros do banco ficaram acima das estimativas do mercado que anteviam um resultado líquido de 69,7 milhões de euros. O resultado operacional, devido a baixos itens de receitas extraordinárias, caiu dos 337 milhões de euros no último trimestre de 2016 para os 159 milhões de euros nos últimos três meses do ano passado, aponta o banco.

Já o francês Société Générale registou lucros de 2,81 mil milhões de euros, o que representa uma queda de 28% no ano passado face aos 12 meses anteriores, refere o MarketWatch.

E, de acordo com o Financial Times (FT), o lucro do banco caiu 82% de Outubro a Dezembro do ano passado para 69 milhões de euros, mas ainda assim superou as previsões do mercado. Segundo os dados da agência Reuters, os analistas antecipavam um prejuízo de 300 milhões de euros. As receitas também superaram as estimativas: ascenderam a 6,35 mil milhões de euros. O FT refere a instituição bancária gaulesa teve de fazer face a várias despesas extraordinárias no último trimestre, incluindo um gasto de 390 milhões para adaptar-se a sua rede de retalho em França e 145 milhões de euros para liquidação de impostos também em solo francês.

Por fim, o italiano UniCredit, o maior banco transalpino, regressou aos lucros no ano passado depois no exercício anterior ter registado prejuízos de 11,8 mil milhões de euros em 2016, segundo a Reuters. Assim, o ano passado a instituição italiana obteve um resultado líquido ajustado de 3.708 milhões de euros. O lucro líquido foi de 5,7 mil milhões de euros. A instituição financeira revela ainda no seu comunicado que as receitas no ano passado aumentaram 1,7% para 19,6 mil milhões de euros. A geração de comissões subiu 7,1% face ao ano anterior para 6,7 mil milhões de euros "graças a dinâmicas comerciais cada vez mais positivas". As receitas de trading cresceram 3,5% face ao exercício anterior para 1,8 mil milhões de euros.

Olhando apenas para os últimos três meses do ano passado, o lucro do UniCredit ascendeu a 801 milhões de euros e o resultado líquido ajustado foi de 708 milhões de euros. As receitas cresceram 4,2% para 4,8 mil milhões de euros.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub