Empresas Resultados líquidos da CGD aumentam 20,1% em 2001 (act3)

Resultados líquidos da CGD aumentam 20,1% em 2001 (act3)

Os resultados líquidos consolidados da Caixa Geral de Depósitos ascenderam a 653,8 milhões de euros em 2001, o que representa um crescimento de 20,1% face ao ano anterior.
Bárbara Leite 18 de fevereiro de 2002 às 20:12
(actualiza com mais informação da conferência de imprensa)

Os resultados líquidos consolidados da Caixa Geral de Depósitos ascenderam a 653,8 milhões de euros em 2001, o que representa um crescimento de 20,1% face ao ano anterior.

O produto bancário beneficiou da evolução positiva da margem financeira que registou um aumento de 175,5 milhões de euros, ou 13,2%, face a 2000, refere a instituição financeira estatal em comunicado.

No final de 2001 a margem financeira totalizava 1,51 mil milhões de euros e o produto bancário cresceu 10,2% para 2,01 mil milhões de euros.

O saldo bruto de crédito sobre clientes somou 43,1 mil milhões de euros, enquanto o rácio de crédito vencido face ao crédito total registou uma melhoria, reduzindo-se de 2,58% para 2,47%.

Para a cobertura do crédito vencido, o montante global das provisões ascendeu a 1,18 mil milhões de euros, o que representou um crescimento de 8,2% face a 2000.

Os depósitos de clientes da Caixa atingiram os 43,5 mil milhões de euros, correspondente a um crescimento de 4,3% face ao ano anterior.

O activo líquido consolidado do Grupo CGD cifrou-se nos 66,6 mil milhões de euros, representando um crescimento de 6,4% face ao ano anterior, resultado «do comportamento bastante dinâmico do crédito sobre clientes».

ROE sobe para 20,7%; custos operacionais caem

No final de 2001 a rendibilidade dos capitais próprios, ou «return-on-equity» (ROE), alcançou os 20,7% contra os 17% no ano anterior. A rentabilidade do activo líquido médio, ou «return-on-assets» (ROA), apresentou um crescimento de 0,91% para 1,03%.

Os custos operacionais da CGD cifraram-se no final de 2001 nos 896 milhões de euros, representando um decréscimo de 0,1% face ao ano anterior.

O rácio «cost to income», que mede a percentagem do que é gasto sobre os proveitos, subiu de 49,5% contra 55,1% em 2000.

O rácio de solvabilidade atingiu os 9% no final de 2001 contra os 8,9% alcançados em 2000.

Lucros na banca de investimento sobem 72,6%

Na banca de investimento, os lucros da CGD aumentaram 72,6% em 2001, totalizando os 15,7 milhões de euros. O «cash-flow» foi de 19,19 milhões de euros, mais 62,2% que em 2000.

Na mesma área, a margem complementar cresceu 144% para 32,4 milhões de euros em resultado do aumento das comissões financeiras, disse António de Sousa, presidente da Caixa em conferência de imprensa.

Os custos de estrutura aumentaram 22,6% em 2001, atingindo os 16,97 milhões de euros. O produto bancário ascendeu a 39,245 milhões de euros, mais 91,2% que em 2000.

A maioria dos bancos nacionais viram os seus lucros descerem na área da banca de investimento, em resultado da depressão registada nos mercados de capitais.

CGD aumenta quota de mercado nos depósitos e créditos

A CGD aumentou a quota de mercado na área de depósitos e créditos, disse António de Sousa em conferência de imprensa.

Na área de depósitos, a CGD elevou a sua quota dos 23% para 23,7%, enquanto nos depósitos, a quota do maior banco nacional subiu dos 30% para 31,1%, acrescentou o mesmo responsável.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar