Energia Risco nuclear descartado em explosão em central de França

Risco nuclear descartado em explosão em central de França

O incidente, que sucedeu na sala de máquinas da central de Flammanville mas em zona não nuclear, obrigou à paragem de um dos reactores. Cinco pessoas sofreram "intoxicações ligeiras."
Risco nuclear descartado em explosão em central de França
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 09 de fevereiro de 2017 às 12:17
A explosão que se verificou na manhã desta quinta-feira, 9 de Fevereiro, na central nuclear de Flamanville, região da Mancha, em França, causou a "intoxicação ligeira" de cinco pessoas de acordo com a imprensa local mas não coloca riscos relacionados com a libertação de radioactividade, garantiu uma fonte governamental citada pela Reuters.

A deflagração verificada na sala das máquinas das instalações geridas pela EDF deu-se às 9:40 locais (menos uma hora em Portugal Continental) e o incidente foi dado como controlado duas horas depois. Está afastada a possibilidade de se ter tratado de um acto intencional. 

As "intoxicações ligeiras" de cinco pessoas foram confirmadas por Olivier Marmion, chefe de gabinete da Préfecture de La Manche. O local onde aconteceu a explosão está afastado da zona nuclear, refere o jornal Le Figaro, mas obrigou à paragem de produção de um dos dois reactores da central, o número 1.

"É um acontecimento técnico significativo, mas não se trata de um acidente nuclear," reforçou Marmion.

A EDF garante que "não houve consequências para a segurança das instalações nem [para] o ambiente" e, em comunicado, esclarece que os meios de socorro foram deslocados para a cena do incidente e "confirmaram a inexistência de incêndio."

Os dois reactores (cada um com capacidade instalada de 1.300 megawatts) foram construídos nos anos 80 e há um terceiro reactor actualmente em construção.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub