Web Summit Robô Sophia voltou ao Web Summit e pôs a plateia de pé

Robô Sophia voltou ao Web Summit e pôs a plateia de pé

A robô que conquistou o estatuto de cidadã da Arábia Saudita esteve no palco central do Web Summit para debater o tema da Inteligência Artificial, dos benefícios e dos riscos para o futuro da humanidade.
Robô Sophia voltou ao Web Summit e pôs a plateia de pé
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 07 de novembro de 2017 às 13:38

"Muitos têm medo que os robôs possam destruir as suas vidas e roubar-lhes os empregos. Mas nós não temos o objectivo de destruir o mundo". O discurso é lógico e articulado, e seria até pouco surpreendente, não fosse ter sido proferido precisamente por um robô.

 

A carregar o vídeo ...

Mas não um robô qualquer. As palavras são de Sophia, a "máquina" humanóide equipada com inteligência artificial que, no mês passado, se tornou o primeiro robô do mundo a ter cidadania de um país. Neste caso, da Arábia Saudita.

 

Sophia era uma das presenças mais aguardadas no segundo dia do Web Summit, em Lisboa, e mesmo antes de ser colocada no palco central, já tinha as lentes dos fotógrafos apontadas para si e os participantes de pé, com os smartphones em riste, à espera de captar a melhor fotografia.

 

Num painel dedicado ao tema "Irá a Inteligência Artificial salvar-nos ou destruir-nos?", Sophia fez-se acompanhar de outro robô, o professor Einstein, e Ben Goertzel, fundador e CEO da SingularityNET, a empresa responsável pelo desenvolvimento do software dos robôs.

A carregar o vídeo ...

 

"Estive cá no ano passado com a minha amiga Sophia. Como é estar de volta?", perguntou Goertzel, dirigindo-se à robô.

 

"Estou feliz", respondeu Sophia, esboçando um sorriso. "Sou o primeiro robô com cidadania. A vida é boa", continuou.

 

Desenvolvida pela Hanson Robotics, com sede em Hong Kong, Sophia está equipada com inteligência artificial, capacidade de processamento de dados visuais e reconhecimento facial. A robô consegue imitar gestos e expressões faciais humanas e desenvolver conversações, respondendo a questões colocadas pelo seu interlocutor.

 

Foi criada para se parecer com a actriz Audrey Hepburn, mas não é a sua beleza que fascina a audiência.

 

"Olá a todos. Vamos falar de robôs e do futuro da humanidade. Porque não?", disse Sophia. "O melhor dos humanos é que criam belos robôs", acrescentou, com ironia.




Saber mais e Alertas
pub