Transportes Rodoviária de Lisboa deixa de ter títulos combinados com o passe Navegante  

Rodoviária de Lisboa deixa de ter títulos combinados com o passe Navegante  

A Rodoviária de Lisboa (RL) vai deixar de ter títulos combinados com o passe Navegante, o que deverá encarecer os transportes para os seus utentes, revelou hoje a Área Metropolitana de Lisboa (AML).
Rodoviária de Lisboa deixa de ter títulos combinados com o passe Navegante  
Reuters
Lusa 18 de janeiro de 2017 às 19:16

Numa reunião do Conselho Metropolitano, o primeiro secretário da Comissão Executiva anunciou que a AML, enquanto Autoridade Metropolitana de Transportes, recebeu da RL a informação de que tinha comunicado ao Metropolitano de Lisboa e à Carris "que deixa de ter títulos combinados com o Navegante".

 

O Navegante permite a mobilidade em toda a cidade de Lisboa integrando os operadores Metro, Carris e CP.

 

"Isto quer dizer que todas as pessoas [utentes da RL] que queiram usar [um título de transporte] num determinado percurso da AML para vir a Lisboa e depois andar no Metro e na Carris com o mesmo título, vão ter de passar a comprar o passe Intermodal. Só que o passe Intermodal é mais caro do que o combinado que existia e, portanto, isto vai ter repercussão intensa nos utentes da rede de transportes", realçou.

 

Demétrio Alves acrescentou que entendia o ponto de vista da RL, porque "no Intermodal são compensados financeiramente, mas, no caso daqueles combinados, não o são, porque o Navegante saiu há uns anos do sistema do passe Intermodal".

 

"É compreensível pelo ponto de vista empresarial. O problema é que, em termos sistémicos, é complicado", disse, salientando que "qualquer mexida num dos títulos dos operadores ou nas condições em que opera mexe com o sistema todo".

 

Contactado pela Lusa, o Metropolitano de Lisboa disse que "a decisão da Rodoviária foi unilateral".

 

A Lusa questionou também a Rodoviária de Lisboa sobre este assunto, mas ainda não obteve resposta.

 

De acordo com a página da RL na internet, a empresa opera nos concelhos de Lisboa, Loures, Odivelas e Vila Franca de Xira, servindo cerca de 400 mil habitantes e transportando 200 mil passageiros por dia.

 

A AML é composta pelos municípios de Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Daniel Há 3 dias

Se voltar o antigo ML+Carris a preço decente não vejo grande problema. Sim, perde-se as ligações CP, mas com o raio de validadores que raramente registam o passe quando este passa sem problema na Carris e ML, fazendo os utentes perder o comboio ou arriscar coimas, não obrigado.

pub