Aviação Rota Bruxelas: TAP está a colaborar com Comissão e apresentará defesa até final do ano

Rota Bruxelas: TAP está a colaborar com Comissão e apresentará defesa até final do ano

A companhia aérea diz que tem colaborado plenamente com a Comissão Europeia no âmbito da investigação aberta na rota de Bruxelas. Tem agora dois meses para responder às preocupações reveladas pela Comissão.
Rota Bruxelas: TAP está a colaborar com Comissão e apresentará defesa até final do ano
Sara Matos
André Cabrita-Mendes 27 de outubro de 2016 às 12:15

A TAP está a colaborar "plenamente" com a Comissão Europeia na investigação a alegadas práticas anti-concorrenciais na rota Lisboa-Bruxelas. A companhia portuguesa vai preparar "serenamente" a sua defesa e tem agora dois meses para a entregar ao Executivo europeu.

A Comissão Europeia anunciou esta quinta-feira, 27 de Outubro, que está a investigar a TAP e a Brussels Airlines desde 2011 por limitarem a concorrência naquela rota, depois de terem assinado um acordo de partilha de códigos.

"Ao longo dos mais de cinco anos em que tem decorrido esta investigação, a TAP tem sempre colaborado plenamente com a Comissão Europeia, fornecendo toda a documentação e informação que lhe foram solicitadas", disse a companhia em comunicado.

A companhia portuguesa tem agora dois meses para apresentar a sua defesa a Bruxelas, que poderá optar por dar continuação ao processo ou arquivá-lo.

A transportadora aérea destaca que este é um "mero passo processual" em que Bruxelas comunicou à empresa as suas preocupações. "Não é uma decisão final nem prejudica a decisão final que a Comissão venha eventualmente a adoptar".

"A TAP irá serenamente preparar a sua resposta e continuará a colaborar plenamente com a Comissão Europeia como tem feito até agora", concluiu o comunicado da companhia portuguesa.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub