Media RTP1, RTP2 e TVI deram destaque a Governo e ao PS em 2016, SIC realçou partidos

RTP1, RTP2 e TVI deram destaque a Governo e ao PS em 2016, SIC realçou partidos

Os canais generalistas RTP1, RTP2 e TVI deram mais destaque, nas peças jornalísticas de política transmitidas em 2016, ao Governo e ao PS, enquanto a estação SIC realçou os partidos parlamentares, revela uma análise do regulador dos media.
RTP1, RTP2 e TVI deram destaque a Governo e ao PS em 2016, SIC realçou partidos
Sábado
Lusa 23 de dezembro de 2017 às 20:31

No relatório de acompanhamento da observância do princípio do pluralismo político de 2016, a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) aponta que "a cobertura informativa dos canais generalistas RTP1, RTP2 e TVI destaca o conjunto do Governo e o PS, seguida dos partidos com representação parlamentar", enquanto "para a SIC, os partidos parlamentares têm maior destaque, seguindo-se o Governo e o PS".

De acordo com o regulador, no ano passado, a RTP1, RTP2, SIC e a TVI transmitiram 761 peças jornalísticas abordando temas como o Governo, governos regionais, partidos políticos e Presidência da República.

Destas, 227 foram emitidas no "Telejornal" da RTP1, 155 no "Jornal 2" da RTP2, 205 no "Jornal da Noite" da SIC e 174 no "Jornal das 8" da TVI, acrescenta a ERC.

A ERC indica que, "no que se refere aos partidos extraparlamentares, a sua presença é exígua ou nula".

Já as presenças do Governo e do PS surgem "em ambas as qualidades", isto é, na de governantes ou de partido do Governo, com um peso entre os 22% e os 25% nos programas destes quatro canais.

"No caso do conjunto dos partidos parlamentares, a variação de valores entre os serviços de programas é mais expressiva, sendo que o ‘Jornal das 8’ da TVI se constitui como o noticiário com menor representação deste conjunto de partidos, e o ‘Jornal da Noite’ da SIC aquele que mais visibilidade lhes confere", precisa o regulador.

Relativamente aos temas, dois terços das peças de pluralismo político emitidas nos telejornais destas estações em horário nobre, no ano passado, davam conta de actividades e acontecimentos relacionados com o Governo e com os partidos políticos.

Seguiu-se a cobertura jornalística das acções do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e das políticas económicas e só depois surgiram as actividades/propostas dos partidos, refere a ERC.

Menor visibilidade tiveram os partidos extraparlamentares e os Governos e partidos das regiões autónomas, observa o regulador, exemplificando que, "num ano de eleições internas no PSD Madeira, não há peças na amostra sobre este acontecimento".

Aludindo ao contexto, a ERC assinala que houve "peças em que a mediatização do Governo e do partido político do Executivo reflectiu um contexto pouco favorável", ao passo que se registou um "enfoque mediático tendencialmente favorável" aos partidos com representação parlamentar, divulgando as suas actividades e posições.

Pela negativa, foram transmitidas peças que relacionavam a política com assuntos como a Caixa Geral de Depósitos (CGD), "no contexto dos salários e necessidade de apresentação das declarações de rendimentos pelos gestores da entidade bancária".

Já pela positiva, as iniciativas de Marcelo Rebelo de Sousa foram reportadas através de "situações contextuais tendencialmente positivas" para o Presidente da República, nota a ERC.

Grande parte das peças divulgadas por estes quatro canais no ano passado diziam, assim, respeito ao Governo, seguindo-se o maior partido da oposição, o PSD.

A ERC adianta que o PEV e o PAN foram os partidos parlamentares com menor número de presenças, enquanto o PCP teve "uma influência positiva em todos os noticiários".




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 3 semanas

E agora tambem foi a vez deste jornal(jn) eleger o madrugador mimico aritmetico como a personagem do ano.Era de louvar o jornal se consegui-se clarificar aquilo q ele escode a 7 chaves.Duma coisa devemos de estar de acordo:ele como pres.do eurogroep nao vai poder fazer o jogo infantil:esconde,escond