Empresas Rui deixou a Ricon para o irmão, perdeu milhões no Trofense e criou a Refive

Rui deixou a Ricon para o irmão, perdeu milhões no Trofense e criou a Refive

Com a Ricon insolvente, conheça a história do accionista que saiu do grupo em 2008, ano em que levou o Trofense à I Liga. O ex-presidente do clube perdoou “vários milhões de euros” para viabilizar a recuperação do emblema local e criou uma nova marca de vestuário.
Rui deixou a Ricon para o irmão, perdeu milhões no Trofense e criou a Refive
Rui Neves 07 de dezembro de 2017 às 18:18

Manhã de 1 de Outubro de 2008: em comunicado enviado às redacções, a Ricon anunciava que tinha sido alcançado um acordo entre os accionistas do grupo, com Pedro Silva a ficar com o controlo a 100% do universo da dona da Gant em Portugal.

 

Tratava-se de uma separação entre irmãos, filhos de Américo Silva, que fundou o grupo em 1973. "Este acordo implica a saída do grupo por parte de Rui Silva, passando este a ocupar-se de outros negócios que não o vestuário", explicava o grupo no mesmo comunicado.

 

É que Rui Silva (na foto à direita) vinha a dedicar mais do seu tempo à presidência do clube de futebol Trofense, que tinha acabado de chegar à I Liga, onde apenas marcou presença na época de 2008/2009.

 

Presidente do Trofense desde 2006, Rui Silva acabou por sair do cargo em 2011. O clube viveu com muitas dificuldades financeiras nos últimos anos, tendo acabado por se apresentar à insolvência.

 

Já este ano, com a equipa a disputar o campeonato de Portugal (correspondente à III divisão), o Trofense chegou a acordo com os credores, com o plano de recuperação aprovado a determinar que o clube tem 13 anos para pagar cerca de 1,5 milhões de euros.

 

Isto significa que os credores perdoaram a esmagadora maioria dos seus créditos, que ascendiam a 7,9 milhões de euros. Acontece que Rui Silva é detentor de quatro quintos (73%) desses créditos - em nome individual ou através de empresas relacionadas com a sua família -, pelo que, como reconheceu o então presidente da comissão administrativa do clube, o antigo accionista da Ricon "abdicou de vários milhões de euros em créditos".

 

O que é feito de Rui Silva? No Verão do ano passado, o irmão de Pedro, que apresentou esta semana as empresas do grupo Ricon à insolvência, criou uma nova marca de moda, que está a tentar conquistar o mercado nacional e a lançar-se na internacionalização.

 

Chama-se Refive e já está presente em cerca de oito dezenas de pontos de venda multimarca em Portugal, onde prevê abrir as primeiras lojas próprias no próximo ano, e entrar em Espanha na Primavera.

 

A Revive - Distribuição de Moda, empresa sediada na freguesia de Vilarinho das Cambas, em Famalicão, e dona da marca Refive, foi visitada, em Julho passado, pelo presidente da autarquia.

 

"A nossa ambição de ultrapassar fronteiras é clara, fundamental para conseguirmos ganhar dimensão, mas ao mesmo tempo muito pensada e ponderada. Espanha é um prolongamento natural de Portugal e depois avançaremos para França", transmitiu Rui Silva a Paulo Cunha, presidente da Câmara de Famalicão.

 

Na altura, Rui Silva definiu a Refive, que emprega uma dúzia de pessoas, como "uma marca de ‘casual wear’ com um ‘twist’ de sofisticação revivalista, que combina design, tendências de moda e qualidade superior com preços médios", que subcontrata toda a produção a empresas portuguesas, sobretudo de Famalicão.

 

Rui Silva conta com o apoio do seu pai, Américo Silva, como consultor estratégico de negócio.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
alberto9 Há 1 dia

E são estes os empresários que temos!!!
E os contribuintes que paguem as favas

pub