Banca & Finanças Rússia prepara resgate de mais um banco

Rússia prepara resgate de mais um banco

A banca russa continua a dar sinais de fragilidade. Agora foi o B&N Bank a solicitar ajuda estatal.
Rússia prepara resgate de mais um banco
Reuters
Nuno Carregueiro 20 de setembro de 2017 às 08:49

O accionista do B&N Bank, um dos 15 maiores bancos da Rússia, solicitou ao banco central que seja concedida uma ajuda estatal à instituição financeira.

 

Segundo a Reuters, o banco pretende que o resgate seja concretizado através de um fundo que foi recentemente criado para o efeito e que já nas últimas semanas foi chamado a salvar um dos maiores bancos privados do país.

 

O resgate do Otkritie, anunciado em Agosto, poderá tornar-se o maior de sempre da história do país, envolvendo 6,9 mil milhões de dólares (cerca de 5,8 mil milhões de euros).

 

O modelo a aplicar no B&N Bank, fundado em 1993, será o mesmo, o que se assemelha mais a uma nacionalização do que um resgate, pois não deverão ser aplicadas perdas aos depositantes e detentores de títulos do banco.

 

De acordo como jornal Vedomosti, citado pela Bloomberg, o anúncio oficial da intervenção no B&N Bank, o 12.º maior banco do país por activos, deverá ser efectuado esta quarta-feira. O Estado deverá assumir a gestão temporária desta instituição financeira, que é detida pelos bilionários Mikail Shishkhanoz e Mikhail Gutseriev.

 

O B&N Bank, tal como o Otkritie e outros bancos privados, registaram um forte crescimento nos últimos anos, beneficiando sobretudo com as sanções aplicadas pela União Europeia e Estados Unidos às companhias estatais devido ao conflito coma Ucrânia. Nos últimos tempos têm estado sob pressão devido às exigências mais apertadas do banco central, nomeadamente nos requisitos de capital e provisões para crédito malparado.

 

Até agora, o maior resgate bancário na Rússia foi o do Bank of Moscow, em 2011, no valor de 395 mil milhões de rublos (5,69 mil milhões de euros).




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira Há 1 dia

É sobejamente conhecida a acção nefasta dos politicos nos governos. Depois de sairem foram colocados nos bancos....estavam à espera de quê? Fizerem a unica coisa que sabem fazer....rebentar com tudo.

pub
pub
pub
pub