Aviação Ryanair assegura que contrata apenas tripulantes de cabine qualificados

Ryanair assegura que contrata apenas tripulantes de cabine qualificados

A companhia de aviação Ryanair esclareceu hoje que contrata apenas tripulantes de cabine qualificados por agências certificadas refutando a denúncia do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo e Aviação Civil que acusa a companhia de "publicidade enganosa".
Ryanair assegura que contrata apenas tripulantes de cabine qualificados
Bloomberg / Reuters / Getty Images
Lusa 03 de dezembro de 2017 às 15:51

"A Ryanair apenas contrata tripulantes de cabine qualificados por agências certificadas e, tal como a maioria dos empregadores, não pagamos por qualquer qualificação ou treino pré-Ryanair", pode ler-se no comunicado hoje divulgado pela companhia.

 

Na quinta-feira passada, o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) avançou com uma denúncia de "publicidade enganosa" numa campanha de recrutamento para tripulantes de cabine da Ryanair, que terá lugar na segunda-feira, no Porto.

 

Em comunicado, o sindicato denunciou "um anúncio por parte da Crewlink (empresa parceira da Ryanair para recrutamento e formação), publicado no passado dia 21 de Novembro, para uma campanha massiva de recrutamento de tripulantes de cabine, sem nenhuma experiência necessária, a ter lugar na próxima segunda-feira, dia 4 de Dezembro, no Porto".

 

Segundo o SNPVAC, no anúncio é publicitado um vencimento mensal entre 1.600 e 2.200 euros, entre outros benefícios, o que "não corresponde à verdade".

 

"Não existem 'condições de trabalho de terceiro mundo' na Ryanair. Os tripulantes de cabine podem auferir até 40.000,00 euros por ano e desfrutar de ótimos termos e condições", refere, por seu turno, a companhia de aviação irlandesa.

 

A Ryanair refere ainda ser por esse motivo que tem actualmente "uma lista de espera de mais de 3.000 profissionais qualificados que desejam juntar-se à Ryanair, num momento em que outras companhias aéreas (Monarch, Air Berlin, Alitalia) estão a negociar cortes de pessoal, pensões e salários".

 

Uma das questões levantadas ainda pelo sindicato dizia respeito aos uniformes dos tripulantes, que denunciava que os custos com o fardamento eram da sua responsabilidade, acusação refutada, igualmente, pela companhia que garante que o "staff da Ryanair não paga pelo seu uniforme".

 

"Os tripulantes de cabine recebem um valor anual para uniforme de até 450 euros, que excede os custos que têm nesta área", sublinha a companhia no documento.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub