Desporto SAD do Porto reduz prejuízos para 35,3 milhões de euros

SAD do Porto reduz prejuízos para 35,3 milhões de euros

As transacções de passes e o valor arrecadado pela participação em competições europeias estiveram entre os contributos positivos para o lado das receitas. As despesas beneficiaram da redução de custos com jogadores e equipas técnicas.
SAD do Porto reduz prejuízos para 35,3 milhões de euros
Correio da Manhã
Paulo Zacarias Gomes 12 de outubro de 2017 às 11:04

A Sociedade Anónima Desportiva do Futebol Clube do Porto fechou as contas da época 2016/2017 (relativos ao período entre 1 de Julho de 2016 e 30 de Junho de 2017) com um resultado líquido negativo de 35,3 milhões de euros, uma recuperação de cerca de 39,5% em relação aos prejuízos de 58,41 milhões de euros apresentados um ano antes.

O período é ainda marcado pelo regresso da SAD presidida por Jorge Nuno Pinto da Costa a resultados operacionais (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) positivos, passando de 5,65 milhões de euros negativos há um ano para 22,75 milhões de euros.

O resultado operacional excluindo resultados obtidos com transferências de jogadores reduziu o tom vermelho (passou de 48,61 milhões para 22,88 milhões de euros também negativos), resultado de um aumento das receitas (em quase 30% para 98,99 milhões de euros "fundamentalmente pelo acréscimo das receitas obtidas pela participação nas provas europeias", como se lê no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, CMVM) e uma diminuição dos custos (cerca de 2% para 121,88 milhões de euros, com redução de despesas com jogadores e equipas técnicas).

As receitas com transacções com passes melhoraram em cerca de 2,63 milhões de euros, para 41,29 milhões. Já o contributo negativo obtido via investimentos financeiros atenuou-se em 81%, passando de 604 milhões de euros para 113 milhões.

Os ganhos obtidos com provas da UEFA, direitos de transmissão e distribuição televisiva e publicidade e sponsorização foram os que mais contribuíram (cerca de 70%) para o total dos proveitos operacionais excluindo os proveitos com passes. O valor arrecadado pela participação em competições europeias quase triplicou, de 11,6 para 30,83 milhões de euros.

A revisão em alta do valor do plantel e do valor registado em caixa levou o activo do clube a crescer em 3,38 milhões de euros, para 378,42 milhões. Já o passivo total atingiu 387,56 milhões de euros (mais 38,38 milhões em relação ao período homólogo).

O FC Porto realça que pagou neste período contabilístico a última prestação do "project finance" para a construção do Estádio do Dragão, "pelo que este se encontra totalmente pago".

As acções da SAD caem 1,39% para 0,71 euros, tendo trocado de mãos na sessão desta quinta-feira, 12 de Outubro, apenas 21 acções.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 4 semanas

Isso são "peanurs", carago!
Até o "macaco" dos Xuper Dragones paga, pois apesar de não se lhe conhecer ocupação, anda de PORSCHE!

Tudo normal nas XAD`S tugas de chutadoires de boila Sul-Americanos....

Vermelho bem vivo Há 4 semanas

Saí mais um mail a informar que o presidente do benfica e o benfica, não consomem carne de porco, e que a dona Zulmira diz que o sperding é uma bosta!!!! eh eh eh eh eh

Saber mais e Alertas
pub