Automóvel SAG aumenta prejuízo para 3,7 milhões até Setembro

SAG aumenta prejuízo para 3,7 milhões até Setembro

A pesar nas contas da importadora de marcas como a Volkswagen estiveram aumentos nos custos operacionais e mais juros líquidos e custos financeiros. Em nove meses, a dívida líquida subiu 57,2 milhões de euros.
SAG aumenta prejuízo para 3,7 milhões até Setembro
Paulo Zacarias Gomes 30 de novembro de 2017 às 20:17

A SAG Gest - Soluções Automóveis Globais terminou os primeiros nove meses do ano com um resultado líquido consolidado negativo de 3,7 milhões de euros, que compara com 900 mil euros de prejuízos no mesmo período do ano passado, comunicou esta quinta-feira, 30 de Novembro, a dona da SIVA à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Segundo a mesma nota, o volume de negócios cresceu 3% no mesmo período para 474,7 milhões de euros, enquanto se verificou uma redução de 4,9% do número de viaturas comercializadas pela importadora das marcas Volkswagen, Audi e Skoda em Portugal.

Os lucros consolidados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) desceram 23,6% para 11,4 milhões de euros, impactados por um aumento de 10,8% dos custos operacionais, que ascenderam a 37,45 milhões de euros, devido, "sobretudo, ao reforço do investimento em publicidade e campanhas de apoio à actividade das marcas representadas pela SIVA, focado na melhoria do "awareness" das marcas pelos clientes," lê-se no comunicado.

Já os resultados antes de impostos foram negativos em 2,5 milhões de euros, penalizados por um acréscimo dos juros líquidos e de custos financeiros.

A dívida líquida consolidada ascendeu a 152,7 milhões de euros, um aumento de 57,2 milhões de euros em relação ao valor verificado no final do ano passado, de 95,4 milhões de euros.

A quota de mercado da SIVA reduziu-se em 1,5 pontos percentuais entre Janeiro e Setembro face ao mesmo período de 2016, cifrando-se nos 11,5%. Percentualmente, a marca Skoda foi a que registou maior queda no volume (23,4%  para 1.744 unidades), seguida de uma redução de 11,1% para 1.400 unidades nos veículos comerciais da Volkswagen e de uma queda de 3,8% dos veículos de passageiros da mesma marca, para 12.697 viaturas.

Já o volume da Audi subiu 0,4% para 6.903 unidades.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 2 semanas

ENQUANTO NÃO LIMPAREM UMAS CENTENAS DE INÚTEIS OS PREJUÍZOS VÃO MANTER-SE...!!!

Saber mais e Alertas
pub